Dourados-MS,
Câmara_novo

O Palmeiras busca a liderança provisória do Campeonato Brasileiro neste sábado, em partida contra o Sport, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Enquanto o Leão briga para chegar à primeira metade da tabela de classificação, o Alviverde só precisa de um triunfo para alcançar a ponta.

O duelo na Arena encerra uma sequência de quatro partidas consecutivas do Verdão em sua casa. No período, a equipe de Roger Machado venceu Junior Barranquilla (Libertadores) e Bahia (Brasileirão), e empatou com o América-MG (Copa do Brasil). Apesar de todos os resultados positivos (contra o Coelho, o Palmeiras se classificou), aconteceram vaias ao final do primeiro tempo contra os americanos e colombianos.

“Em casa a grande maioria da torcida vai para incentivar. (Nosso desempenho como visitante) mostra que o time está sendo bem eficiente, surgem as oportunidades e estamos conseguindo concluir em gol. Em casa, às vezes tem a ansiedade e acaba atrapalhando. São coisas que a gente tem de aprender na vida, temos de tirar lições para não nos atrapalhar”, disse o zagueiro Edu Dracena.

Precisando do triunfo para chegar aos 14 pontos e ultrapassar Atlético-MG, Flamengo e Corinthians (que jogarão depois), o Palmeiras tem como trunfo o fato de não ter sofrido gols jogando no Allianz Parque neste Campeonato Brasileiro. Além da estatística favorável, Roger Machado terá a volta de Dudu, na lista de pré-convocados por Tite para a Copa do Mundo e liberado pela CBF para atuar.

Se as expectativas são positivas do lado alviverde, dá para dizer que o Sport nem queria entrar em campo neste sábado. O diretor executivo do Leão, Klaus Câmara, pediu o adiamento do por falta de tempo hábil para a preparação dos jogadores. Devido à greve e a falta de combustível, o voo da equipe pernambucana foi adiado, e a delegação pernambucana chegou à capital paulista apenas na noite de sexta-feira.

Em campo, o técnico Claudinei Oliveira tem apenas uma dúvida para montar sua equipe, mas a alterações poderá mudar todo o esquema tático de seu time. Após Rogério voltar a treinar normalmente recuperado de uma pancada no tornozelo sofrida durante a semana, o treinador não revelou se irá escalar uma equipe mais ofensiva ou se manterá o esquema com três volantes, que lhe rendeu duas vitórias na competição diante do Paraná e do Bahia.

“Vamos ver a questão do Rogério como está. A gente tem uma dúvida se vai iniciar no 4-1-4-1 ou se jogo mais ofensivo. Eu gosto de jogar com mais atacantes, ser mais presente ofensivamente, mas temos que levar em consideração o histórico. Ganhamos duas partidas com os volantes. Então, vamos avaliar. Essa é a única dúvida. Não vamos fugir disso”, declarou o técnico.

Para a partida, o Sport tem os retornos do meia Marlone e do volante Fellipe Bastos. Os dois ficam à disposição após não encararem o Corinthians por veto contratual, já que foram cedidos pelo Alvinegro. O mesmo motivo faz com que o time não conte com o meia Michel Bastos. O outro desfalque da equipe é o reserva e zagueiro Max, que não treinou nesta sexta em recuperação de dores no joelho.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X SPORT

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 26 de maio de 2018, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – Fifa (PA)
Assistentes: Helcio Araujo Neves (PA) e Heronildo S Freitas da Silva (PA)

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Edu Dracena, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Willian e Dudu
Técnico: Roger Machado

SPORT: Magrão; Cláudio Winck, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Anselmo, Neto Moura, Fellipe Bastos (Rogério), Gabriel e Marlone; Rafael Marques
Técnico: Claudinei Oliveira

 

Gazeta Esportiva

Real Madrid e Liverpool decidem neste sábado, às 15h45 (horário de Brasília), no Estádio Olímpico, em Kiev, na Ucrânia, o título da Liga dos Campeões da Europa. Atuais bicampeões, os merengues vão em busca do 13º título de sua história, se fortalecendo como grande força do continente na década. Já os ingleses querem o sexto caneco e a volta de dias de glórias em termos continentais.

O Real Madrid eliminou gigantes pelo caminho, como a Juventus, e nas semifinais o Bayern de Munique, de quem venceu por 2 a 1 na Alemanha e segurou o 2 a 2 na Espanha. O Liverpool despachou outra surpresa, a Roma, nas semifinais, ganhando por 5 a 2 na Inglaterra e perdendo por 4 a 2 na Itália.

Zidane espera confronto difícil contra o Liverpool (Foto: HO / UEFA / AFP)

Experiente em finais, o francês Zinedine Zidane, comandante do Real Madrid, espera muitas dificuldades. “Vai ser uma das decisões mais complicadas, pois o Liverpool tem um time muito eficiente e que joga com intensidade os noventa minutos”, afirmou, antes de completar.

“Espero o nosso jogo mais complicado em termos de Liga dos Campeões falando de uma história recente. Porém, já demonstramos ter grande capacidade de lidarmos com este tipo de realidade e por isso mesmo confio no potencial de meu grupo”, concluiu.

O alemão Jürgen Klopp, comandante do Liverpool, sonha alto.

“Acredito que se colocarmos em prática aquilo que conseguimos fazer em nossos melhores jogos nesta Liga dos Campeões da Europa temos boas condições de brigarmos fortes pelo título”, projetou Klopp, que ainda ressaltou o retrospecto dos Reds nesta edição da Champions.

Alemão Klopp lembrou campanha do Liverpool nesta Liga dos Campeões (Foto: HO / UEFA / AFP)

“Goleamos a Roma por cinco a dois, o Manchester City por três a zero e sempre jogando em grande nível. Fácil contra o Real Madrid nunca será, mas podemos confiar em um jogo muito disputado”, relembrou.

A principal aposta do Real Madrid está mais uma vez nos pés de Cristiano Ronaldo, artilheiro do torneio com 15 gols. Já o Liverpool tem como ponto forte o trio ofensivo composto pelo astro egípcio Mohamed Salah, pelo brasileiro Roberto Firmino e pelo senegalês Sadio Mané.

Em termos de escalação, o Real Madrid tem uma dúvida na lateral direita onde Dani Carvajal, que se recuperou de lesão na perna direita, ainda não provou ter ritmo de jogo. Se ele ficar de fora, o meia-atacante Lucas Vázquez segue improvisado. O Liverpool vai manter a base que vem atuando.

O Real Madrid foi campeão nas edições de 1955–56, 1956–57, 1957–58, 1958–59, 1959–60, 1965–66, 1997–98, 1999–00, 2001–02, 2013–14, 2015–16 e 2016–17. O Liverpool ganhou em 1976–77, 1977–78, 1980–81, 1983–84 e 2004–05. Caso a partida deste sábado termine empatada no tempo regulamentar, acontecerá uma prorrogação de trinta minutos. Persistindo a igualdade, o classificado será conhecido nas cobranças de pênaltis.

FICHA TÉCNICA
REAL MADRID-ESP X LIVERPOOL-ING

Local: Estádio Olímpico, em Kiev (Ucrânia)
Data: 26 de maio de 2018, sábado
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Milovan Ristic (Sérvia)

REAL MADRID: Keylor Navas; Dani Carvajal, Sergio Ramos, Raphaël Varane e Marcelo; Casemiro, Toni Kroos e Luka Modric; Bale (Isco), Cristiano Ronaldo e Karim Benzema
Técnico: Zinedine Zidane

LIVERPOOL: Karius; Alexander-Arnold, Dejan Lovren, Van Dijk e Andy Robertson; Jordan Henderson, James Milner e Wijnaldum; Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané
Técnico: Jürgen Klopp

 

 

Gazeta Esportiva

Em dia de greve dos caminhoneiros e de filas quilométricas nos postos de gasolina, faltou combustível ao Santos na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, no empate em 0 a 0 com o Real Garcilaso-PER.

Diante de uma equipe fraca e já eliminada, o Peixe penou. Sem inspiração, abusou dos cruzamentos e ouviu vaias ao apito final. A única boa notícia foi a classificação como líder do Grupo 6 e a vantagem de decidir as oitavas de final da Libertadores da América em casa. O Estudiantes-ARG venceu o Nacional-URU e avançou como segundo.

Em baixa e longe do futebol ofensivo pregado pelo técnico Jair Ventura, o Santos voltará a campo no domingo para enfrentar o Cruzeiro, no Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Santos só empata com o Real Garcilaso (Foto: Fernando Dantas/ Gazeta Press)

O JOGO

O Santos teve 75% da posse de bola no primeiro tempo, girou o jogo de um lado para o outro a todo tempo, mas não criou como poderia. Longe disso.

Foram duas chances claras, uma com Rodrygo, aos 16 minutos, depois de lançamento de Jean Mota, e outra em boa finalização de Eduardo Sasha, aos 37′. No rebote, Vitor Bueno, com pouco ângulo, desperdiçou na pequena área.

Na saída para o intervalo, os poucos torcedores presentes na Vila Belmiro se dividiram entre aplausos e vaias. Uma das organizadas gritou: “Não é mole não, jogando com vontade ninguém ganha do Peixão”.

E NADA MUDOU…

Nas primeiras ações do segundo tempo, o Santos até pareceu que seria um time diferente, mas não foi assim. Depois de certa pressão, o Peixe voltou a ser monótono.

Posse de bola sem objetividade, desorganização e excesso de cruzamentos. Nada muito trabalhado e noite sem inspiração de pilares da equipe, como Eduardo Sasha, Rodrygo e Gabigol. Diego Pituca, estreante em Libertadores, se destacou.

Nos minutos finais, o técnico Jair Ventura confirmou o discurso de ofensividade, que só fica na teoria, e colocou Yuri Alberto e Copete nas vagas de Vitor Bueno e Pituca, respectivamente. Sim, o Peixe terminou com um meia e cinco atacantes.

O 4-1-5 deu certo? Não. No desespero, o alvinegro ainda assustou o fraco Garcilaso em alguns momentos, porém, merecidamente, o zero não saiu do placar. E a bola comemorou o apito final.

E na Argentina, o Estudiantes virou sobre o Nacional-URU, venceu por 3 a 1 e se classificou como segundo colocado do Grupo 6. O Santos venceu a equipe de La Plata na Vila Belmiro e também em Quilmes.

FICHA TÉCNICA
Santos 0 x 0 Real Garcilaso-PER

Data: 24/05/2018
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Luiz Murillo e Jorge Urrego (VEN)
Público e renda: 5.016/R$ 119.075,00
Cartões amarelos: SANTOS: Daniel Guedes e Lucas Veríssimo. REAL GARCILASO: Morales, Cóssio e Arismendi.

Santos: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca (Copete), Jean Mota (Renato) e Vitor Bueno (Yuri Alberto); Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura

Real Garcilaso: Morales, Arismendi, Dulanto, Lojas e Cóssio; Kontogiannis, Tragodara (Mendoza), Archimbaud, Ramúa (Pérez) e Landauri (Santillán); Vidales.
Técnico: Tabaré Silva

 

 

Gazeta Esportiva

 

 

 

Instável na temporada e pressionado depois de perder para o São Paulo, o Santos tem a chance de dar uma boa notícia ao torcedor na noite desta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro.

O Peixe enfrentará o Real Garcilaso-PER em busca do primeiro lugar do Grupo 6 na Libertadores da América. Para avançar às oitavas de final em primeiro e com a vantagem de decidir em casa, basta vencer por qualquer resultado. O adversário está eliminado, mas tem a chance de terminar em terceiro e se classificar para a Sul-Americana.

Para espantar a má fase e terminar bem a primeira fase da Libertadores, o Santos precisará superar alguns desfalques: Alison, Bruno Henrique, Arthur Gomes, Léo Cittadini e Guilherme Nunes estão no departamento médico. Yuri não está inscrito.

Renato deve ser mais uma vez escalado no Santos (Ivan Storti)

A tendência é que o capitão Renato seja mantido e atue ao lado de Jean Mota e Bueno, com o trio de ataque já conhecido pelos santistas: Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.

“A gente tem que vencer esta partida para trazer a confiança para o nosso lado. Todos ficaram chateados no fim de semana, mas é dar sequência ao nosso trabalho. Sabemos que não estamos jogando bem fora de casa, mas estamos vencendo dentro de casa. Precisamos garantir o primeiro lugar na Libertadores”, disse David Braz, em entrevista coletiva.

O Real Garcilaso deve apostar na marcação e nos contra-ataques para enfrentar o Santos na Vila. Na primeira rodada da Libertadores, no Peru, a equipe venceu o Peixe com tranquilidade por 2 a 0. Destaque para Ramúa, meia de 31 anos e autor de um gol.

O Garcilaso não vence há seis jogos, com três empates e três derrotas. A última vitória foi diante do Cantolao, por 1 a 0, no dia 10 de abril. Pela Libertadores, vem de dois 0 a 0 consecutivos contra Estudiantes-ARG e Nacional-URU.

FICHA TÉCNICA
Santos x Real Garcilaso-PER

Data: 24/05/2018
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Luiz Murillo e Jorge Urrego (VEN)

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Renato, Jean Mota e Vitor Bueno; Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura

Real Garcilaso: Morales, Arismendi, Kontogiannis, Juan Lojas e Cossio; Luis Garcia, Tragodara e Ramúa; Peres, Landauri e Vidales.
Técnico: Tabaré Silva

O Corinthians não teve um mau desempenho na noite desta quinta-feira, mas ficou longe de dar ao seu torcedor o resultado que desejava. Depois de perder muitos gols, parando tanto na falta de precisão do ataque quanto em boas defesas do goleiro Faríñez, o Alvinegro viu Carillo, na metade do segundo tempo, acertar um lindo chute, no ângulo de Walter, decretando o triunfo do Millonarios na Arena Corinthians.

Apesar do resultado, o Timão se manteve na primeira posição do Grupo 7, com um saldo superior ao do Independiente, dono dos mesmos 10 pontos (6 a 2). O problema é que o time ficou apenas na sexta posição entre os primeiros colocados da competição, diminuindo a chance de decidir em casa os mata-matas. O sorteio para saber o adversário será no dia 4 de junho, na sede da Conmebol.

Na outra partida do grupo, o Independiente conseguiu uma vitória por 2 a 0 sobre o Deportivo Lara, da Venezuela, chegou aos dez pontos e sacramentou a sua classificação à próxima fase. O primeiro saiu na parte final do primeiro tempo, quando Benítez bateu escanteio, a bola saiu baixa e o goleiro Salazar falhou na tentativa de afastar, mandando para a própria meta. Na etapa final, com um a mais, os argentinos fecharam o placar com o centroavante Gigliotti.

Os comandados de Osmar Loss agora dão um tempo na disputa da Libertadores da América, que só será retomada no próximo semestre, depois da Copa do Mundo. Antes do Mundial, o Alvinegro terá pela frente seis rodadas do Campeonato Brasileiro, sendo a primeira delas o duelo contra o Internacional, às 16h (de Brasília) do domingo, no Beira-Rio.

Jogo movimentado, Corinthians descalibrado

O primeiro tempo da partida mostrou um Corinthians muito superior técnica e taticamente com relação ao adversário, focado em construir uma linha de cinco defensores, protegidos por dois volantes, evitando que o Alvinegro tivesse qualquer possibilidade de contra-ataque. Coube aos meias, então, achar espaço na defesa adversária no jogo posicionado, apostando sempre na movimentação do 4-2-4 corintiano.

A chance inicial de perigo saiu com Maycon, que se infiltrou entre os zagueiros e recebeu passe por elevação de Jadson. O canhoto teve que girar para a perna boa, perdeu um pouco de tempo, mas conseguiu proteger da chegada do zagueiro e chutar cruzado, mandando para fora do gol. Pouco depois, em cruzamento de Romero, pelo lado esquerdo, Rodriguinho não alcançou e Faríñez espalmou para o lado.

Muito espaçado em campo, o Millonarios atacava praticamente só com os três jogadores de frente, sempre dominados pela boa recomposição corintiana. Em bola parada, Del Valle saiu cara a cara com Walter e abriu o placar, mas estava em claro impedimento. A resposta corintiana veio com Rodriguinho. Até então sumido, ele recebeu na área, deu lindo drible em Rivas e, cara a cara com Faríñez, optou por chutar no canto direito, facilitando a defesa do goleiro.

O jogo diminuiu de ritmo na sequência, bastante por causa dos erros de passe dos donos da casa. Sem a necessidade da vitória para a classificação e aparentemente relaxados, os corintianos erraram 41 passes, algo grave em qualquer ocasião, ainda mais quando se tem pela frente um adversário que jogou para se defender. Dessa forma, o placar não teve como não ir zerado para o intervalo.

Golaço desmonta melhor momento corintiano

O retorno para a etapa final mostrou um Millonarios um pouco mais ofensivo, tratando de ficar mais mais com a bola e tentar trabalhar os ataques. A grande chance, no entanto, veio em um vacilo de Mantuan. último homem da defesa após cobrança de escanteio, ele errou o domínio e viu Valencia passar como um caminhão sem freio ao seu lado. O canhoto limpou o jovem lateral e ficou com o gol aberto para si, mas preferiu tocar para o meio, no pé de Gabriel, que afastou.

O lance pareceu dar ânimo ao Timão, que quase chegou ao gol antes dos 20 minutos. Após boa enfiada de Jadson, Rodriguinho tentou encobrir o goleiro e parou em boa saída do venezuelano. Na sobra, Jadson conseguiu vencê-lo, mas RIvas, em cima da linha salvou. Pouco depois, aos 24, Maycon soltou uma bomba e parou em Faríñez. Na sobra, Romero tentou de primeira e mandou rente à trave.

No melhor momento da equipe na partida, no entanto, os anfitriões foram surpreendidos. Em lance pela esquerda, Balbuena tentou fazer o corte em passe que tentava o centroavante Del Valle. A bola acabou sobrando no meio, na entrada da área, e viu Carrillo acertar um lindo chute no ângulo de Walter, que nada pôde fazer. Balde de água fria em Itaquera e muita festa dos animados colombianos.

A pressão corintiana seguiu forte e chegou a resultar em gol, mas o juiz apontou impedimento inexistente quando SIdcley serviu Dutra sem goleiro. Pouco depois, Rodriguinho ainda teve boa chance de empatar com um chute de pé esquerdo, parando em defesa de Faríñez, que assegurou o triunfo colombiano. Resultado ruim para os alvinegros, mas que ouviram da arquibancada um alento. “Eliminado”, cantaram os corintianos, em direção aos visitantes.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 0 X 1 MILLONARIOS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 24 de maio de 2018, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Haro (Peru)
Assistentes: Raúl López Cruz e Víctor Raez (ambos do Peru)
Público: 30.340 pagantes
Renda: R$ 2.044.105,52
Cartões amarelos: Mantuan (Corinthians); Rivas e John Duque (Millonarios)
Gol: MILLONARIOS: Carrillo, aos 27 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Maycon, Pedrinho (Mateus Vital), Jadson (Júnior Dutra), Rodriguinho e Romero (Marquinhos Gabriel)
Técnico: Osmar Loss

MILLONARIOS: Fariñez; Palacios, Figueroa, Rivas e Banguero; Matías de los Santos, John Duque (Carrillo), Salazar (Aragón), Valencia (Quiñones) e Rojas; Del Valle
Técnico: Miguel Ángel Russo

 

 

Gazeta Esportiva

Osmar Loss estreará como técnico da equipe profissional do Corinthians em uma partida de Copa Libertadores da América. A partir das 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira, dois dias após Fábio Carille confirmar a sua transferência para o saudita Al Wehda, o seu antigo auxiliar estará em foco diante do colombiano Millonarios, em Itaquera.

O último compromisso na fase de grupos vale para o Corinthians melhorar a sua pontuação antes de iniciar o mata-mata. O time que Loss herdou de Carille já está classificado com os seus 10 pontos ganhos e dificilmente perderá a liderança da chave 7 para o Independiente (7), que tem sete gols de saldo de desvantagem e brigará pela segunda vaga contra o Deportivo Lara (6), em Avellaneda.

Mais importante do que a tabela da Libertadores, porém, é fazer com que Osmar Loss inicie bem a sua trajetória como sucessor de Carille. Aos 42 anos, o profissional gaúcho está no Corinthians desde 2013, tendo conquistado duas Copas São Paulo (2015 e 2017), um Campeonato Brasileiro sub-20 (2014) e dois Campeonatos Paulistas sub-20 (2014 e 2015). A trajetória vitoriosa na base fez com que ele virasse auxiliar do time profissional e, agora, um candidato óbvio a assumir o posto de comandante.

A princípio, Loss não mudará a formação que Carille vinha adotando. Contra o Millonarios, ele não poderá contar com o goleiro Cássio e o lateral direito Fagner, em preparação para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, nem com o centroavante Roger, não inscrito na fase de grupos da Libertadores. Já os titulares preservados no empate por 1 a 1 com o Sport estarão em ação outra vez.

“Sabemos da importância desse jogo, da força que a gente tem dentro de casa. Vamos para cima”, pregou o lateral esquerdo Sidcley, um dos que não atuaram na rodada passada do Campeonato Brasileiro. “Mas, aqui, ninguém é titular absoluto. A gente faz o que o Corinthians precisar”, discursou.

Do outro lado, com 5 pontos ganhos, o Millonarios tem chances remotas de classificação – precisa vencer o Corinthians e contar com um empate entre Independiente e Deportivo Lara para avançar. “Será duríssimo porque o rival é forte, como tem sido esse grupo. Precisamos conseguir algo para, no mínimo, ir à Sul-Americana. Mas estamos falando de um campeão brasileiro, de um clube muito importante a nível de estrutura”, respeitou o técnico argentino Miguel Ángel Russo.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X MILLONARIOS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 24 de maio de 2018, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Haro (Peru)
Assistentes: Raúl López Cruz e Víctor Raez (ambos do Peru)

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Maycon, Pedrinho, Jadson, Rodriguinho e Romero
Técnico: Osmar Loss

MILLONARIOS: Fariñez; Palacios, Figueroa, Cadavid e Banguero; Matías de los Santos, John Duque, Salazar, Valencia, Rojas e Del Valle
Técnico: Miguel Ángel Russo

Foi com bronca da torcida, mas o Palmeiras está nas quartas de final da Copa do Brasil. No Allianz Parque, o Verdão permitiu que o América-MG saísse na frente com Serginho e foi para o intervalo sob vaias. Na etapa final, Willian marcou o gol 200 do Alviverde na Arena e, por ter vencido o duelo em Belo Horizonte, o Palestra garantiu a classificação com o empate por 1 a 1.

O adversário do Palmeiras será decidido em sorteio na próxima qunita-feira, no Rio de Janeiro. Pelo Brasileirão, o Verdão enfrenta o Sport, sábado, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Já o Coelho recebe o São Paulo, domingo, às 19h, no estádio Independência.

O Palmeiras entrou em campo em ritmo lento. A maioria diria que o compasso era de treino, mas quem acompanha as atividades de Roger Machado na Academia de Futebol sabe que é justamente o contrário: “treina como joga, e joga como treina”.

O fato é que o Verdão não fez um primeiro tempo de quem tinha apenas um gol de vantagem na partida mata-mata. Sem contar com Dudu e Borja, nas listas de 35 convocados para a Seleção Brasileira e colombiana, respectivamente, o Palestra teve Deyverson no comando de ataque, com Willian sendo deslocado para o lado direito.

Bigode brigou muito na frente, mas não conseguiu aparecer bem no ataque, enquanto Deyverson mostrou falta de intimidade com a bola em quase todos os lances. O América-MG, por sua vez, esteve bem armado por Enderson Moreira e, mesmo precisando de ao menos um tento, não se lançou ao ataque, povoou o meio-campo e não deu espaços para os mandantes.

Se Deyverson não foi bem pelo Alviverde, Rafael Moura mostrou categoria e consciência tática. Aos 37 minutos, o camisa 9 deixou a área para ajudar na construção da jogada, deu lindo passe para Carlinhos e permitiu a entrada de Serginho pelo meio. O camisa 10 recebeu livre do lateral e rolou para as redes. Assim, pela segunda vez em três jogos, o Palmeiras terminou o primeiro tempo vaiado no Allianz Parque.

Após o intervalo, Guerra entrou na vaga de Deyverson. Com o anúncio da substituição no Allianz, a torcida vibrou como se fosse um gol (especialmente quando o locutor avisou que era o centroavante quem sairia). Em seguida, a principal organizada do clube emendou: “Raça Verdão, você é tradição”.

A saída de Deyverson melhorou o Palmeiras. A entrada de Guerra nem tanto. Tentando pressionar desde o primeiro minuto da etapa final, o Palmeiras pecou demais nos erros de passes. Pouco depois, Lucas Lima deixou o campo vaiado para dar lugar a Hyoran.

Coincidentemente ou não, o empate veio logo em seguida. Bruno Henrique deu linda virada de jogo para Marcos Rocha, que ajeitou de cabeça para Willian. Bigode também testou a bola, desviou muito bem em um lance difícil, e mandou para as redes de João Ricardo, anotando o gol 200 do Palmeiras no Allianz Parque.

Com o duelo empatado, o América-MG se lançou ao ataque e levou perigo. Roger ainda sacou Willian para a entrada do garoto Papagaio, mas o Verdão não conseguiu reter a bola e chegou a passar sufoco. Mesmo assim, o time soube sofrer e garantiu a classificação.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 AMÉRICA-MG

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 23 de maio de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
Público: 22.821 torcedores
Renda: 1.241.521,90

Cartões amarelos: Lucas Lima e Felipe Melo (PALMEIRAS); Leandro Donizete e Aderlan (AMÉRICA-MG)

GOLS
AMÉRICA-MG: Serginho, aos 37 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Willian, aos 18 minutos da etapa final

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Edu Dracena, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Hyoran); Keno, Willian (Papagaio) e Deyverson (Guerra)
Técnico: Roger Machado

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Norberto (Marquinhos), Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Leandro Donizete e Juninho; Aderlan, Serginho (Ruy) e Luan; Rafael Moura (Aylon)
Técnico: Enderson Moreira

Mais Artigos...