Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

O Santos contou com uma grande jogada individual de Arthur Gomes e o faro de gol de Gabriel, artilheiro do Campeonato Brasileiro, para vencer o clássico contra o Corinthians, na noite deste sábado, no estádio do Pacaembu. Mesmo diante de um valente time misto do rival, o time da Baixada comemorou como se fosse um título após o apito final do árbitro Péricles Bassols, com jogadores invadindo o campo.

O resultado leva a equipe aos 42 pontos na tabela da competição nacional, sete a mais do que o clube do Parque São Jorge, dono de atuação digna apesar do revés. Cada vez mais com o sinal de alerta contra o rebaixamento ligado, o Timão estagnou nos 35 pontos e pode fechar a rodada apenas dois pontos acima da zona de rebaixamento.

Os comandados de Cuca agora terão outra semana livre pela frente antes de encarar o Internacional, na segunda-feira, dia 22, no Beira-Rio, para seguir na briga por uma vaga na Libertadores da América. Do outro lado, os comandados de Jair Ventura, que decidem o título da Copa do Brasil na quarta-feira, na Arena, contra o Cruzeiro, voltam a jogar pelo Brasileiro contra o Vitória, no sábado, no Barradão.

 

Gabigol matador e Corinthians organizado

O jogo começou com o Corinthians apostando na rapidez de Pedrinho e Mateus Vital para surpreender a marcação do adversário. Bastante organizado para um time com tantas mudanças, o Alvinegro teve uma chance clara de abrir o placar ainda aos quatro minutos. Léo Santos saiu jogando com um drible no meio das pernas de Bruno Henrique, foi ao ataque e recebeu bola na medida de Pedrinho. O zagueiro, improvisado na lateral, cruzou, Jonathas furou e a bola ficou com Vital, que cortou Ferraz e chutou para fora.

O lance, que chegou a silenciar por alguns momentos o estádio do Pacaembu, deu confiança aos corintianos, que não recuaram nem aceitaram a pressão adversária. À medida em que o tempo foi passando e Carlos Sánchez, com muita calma, tomou conta do meio-campo, porém, o Peixe conseguiu reter mais a posse de bola. Foi a senha para que os donos da casa conseguissem abrir o placar.

Depois de lance polêmico na saída de bola, com Vital reclamando de falta de Gustavo Henrique após perder a bola, o Peixe inverteu o jogo e conseguiu lateral. Na cobrança, Arthur Gomes mostrou qualidade para girar sobre a primeira marcação de Douglas, fintou Carlos e chutou para o meio da área. Walter desviou, mas a bola ficou nos pés de Gabriel, que soltou a bom com o pé esquerdo para estufar a rede.

Mesmo com a torcida incentivando e a chuva caindo forte para animar a galera nas arquibancadas, o Peixe preferiu recuar ao seu campo de defesa e apostar no contra-ataque com a rapidez dos seus pontas. Com a posse de bola, mas sem profundidade já que Jonathas sofria até para dominar a bola, o Corinthians não conseguiu ameaçar o gol de Vanderlei até o intervalo, mantendo o placar em 1 a 0.

Jogo corrido, placar igual

Apesar de ter levado perigo com a dupla Pedrinho e Léo Santos no primeiro tempo, o técnico Jair Ventura optou por dar descanso ao seu zagueiro titular no intervalo. Thiaguinho voltou para a etapa final como lateral, numa clara demonstração de preferência do comandante pelo jogo da quarta-feira do que pelo clássico. O Peixe, em vantagem, voltou com a mesma formação e ideia de jogo, esperando o rival na defesa.

Jonathas, ainda que com muita dificuldade com a bola nos pés, passou a disputar bem pelo alto e deu profundidade ao time do Corinthians. No melhor lance criado, mesmo com um passe mais forte do que o necessário, deixou Mateus Vital em boa condição dentro da área. O meia, porém, demorou a tomar a decisão, tentou levar para o pé direito e acabou desarmado em cima da hora por Luiz Felipe.

Cuca sentiu que seu time precisava de mais poder ofensivo e mandou a campo o paraguaio Derlis Gonzáles na vaga de Arthur Gomes, visivelmente cansado. Logo em seu primeiro lance, Derlis recebeu passe sem querer de Dodô, que errou um chute para o gol, e ficou em boa condição na área. O atacante ajeitou e soltou um chute forte com o pé direito, a bola bateu em Pedro Henrique e saiu pela linha de fundo.

Os minutos finais foram de muita intensidade, com direito a sete minutos de acréscimo adicionados pelo árbitro. O Corinthians quase empatou em cruzamento de Carlos que Gabriel cabeceou ao lado do gol de Vanderlei. Na resposta, Derlis chutou forte, Walter espalmou e Bruno Henrique, no rebote, carimbou o goleiro mais uma vez. No último lance, Clayson bateu falta na área, a defesa fez linha de impedimento péssima e Marllon cabeceou para fora.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: Sábado, 13 de outubro de 2018
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Público: 24.123 pagantes
Renda: R$ 778.974,50
Cartões amarelos: Gabigol, Gustavo Henrique, Derlis González (Santos); Emerson Sheik e Gabriel (Corinthians)
Gols: Gabigol, aos 21 minutos do primeiro tempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri (Renato); Arthur Gomes (Derlis González), Carlos Sánchez (Eduardo Sasha), Diego Pituca e Bruno Henrique; Gabigol
Técnico: Cuca

CORINTHIANS: Walter; Léo Santos (Thiaguinho), Pedro Henrique, Marllon e Carlos Augusto; Gabriel e Douglas; Pedrinho, Mateus Vital (Clayson) e Emerson Sheik (Danilo); Jonathas.
Técnico: Jair Ventura

O Flamengo mostrou que segue na briga pelo título do Campeonato Brasileiro ao vencer por 3 a 0 o Fluminense, neste sábado, no Maracanã. Com o resultado, os rubro-negros chegaram a 55 pontos e vão dormir na vice-liderança da Série A. Já os tricolores, com 37, seguem no meio da classificação.

Os flamenguistas foram superiores, principalmente no primeiro tempo e saiu para o intervalo com boa vantagem após os gols de Uribe e Léo Duarte. Na etapa final, os rubro-negros decretaram a vitória com mais um gol de Uribe.

Na próxima rodada, o Flamengo terá pela frente o lanterna Paraná, em Curitiba, no próximo domingo. No mesmo dia, o Fluminense recebe o Atlético-MG, no Maracanã.

O jogo

O clássico começou movimentado com o Flamengo buscando ter a posse de bola. No entanto, no contra-ataque, o Fluminense que teve a primeira boa chance aos cinco minutos. Luciano arriscou da entrada da área e obrigou César a fazer boa defesa em dois tempos. A resposta rubro-negra veio no minuto seguinte. Lucas Paquetá aproveitou cruzamento e cabeceou em cima de Julio Cesar.

O Flamengo melhorou na partida e criou nova chance aos nove minutos. Willian Arão recebeu a bola na área, mas chutou sobre o travessão. No minuto seguinte, os rubro-negros abriram o placar no Maracanã. Vitinho cruzou pela esquerda e Uribe, de cabeça, colocou na rede.

Mesmo depois do gol, os flamenguistas seguiram melhores em campo. Tanto que aos 18 minutos, Vitinho fez boa jogada pela esquerda e achou Willian Arão na entrada da área. O volante chutou colocado, mas a bola bateu na zaga e foi pela linha de fundo.

Com o passar do tempo, o Fluminense conseguiu equilibrar a partida. No entanto, os tricolores continuavam tendo dificuldade em criar lances de perigo. Nos minutos finais, o Flamengo voltou a buscar o ataque com mais intensidade e chegou ao segundo gol aos 46 minutos. Após falta cobrada na área, Léo Duarte cabeceou sem chance para Julio Cesar e deixar os rubro-negros com boa vantagem no intervalo.

No segundo tempo, o Fluminense esboçou uma pressão, mas viu o Flamengo chegar ao terceiro gol aos quatro minutos. Lucas Paquetá chutou, a bola foi desviada e chegou em Uribe. O colombiano dividiu com o goleiro Julio Cesar e mandou para a rede.

A partir daí, os tricolores passaram a pressionar em busca do gol, massa conseguiu levar perigo aos 26 minutos. Após cruzamento de Jadson, Ayrton Lucas cabeceou para grande defesa de César.

Na parte final, o panorama do clássico não mudou. O Flamengo passou a administrar, mas ainda teve a chance de ampliar com Berrío. O Fluminense pouco incomodou César e apenas esperou o apito final no Maracanã.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 0 FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de outubro de 2018 (Sábado)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Renda: R$ 1.140.402,00
Público: 48.894 pagantes
Cartões amarelos: Willian Arão e Pará (Flamengo); Mateus Norton, Richard e Gum (Flamengo)
GOLS
FLAMENGO: Uribe, aos 10min do primeiro tempo e 4min do segundo tempo; Léo Duarte, aos 46min do primeiro tempo

FLAMENGO: César, Pará, Leo Duarte, Rever (Rhodolfo) e Renê; Gustavo Cuellar, Willian Arão, Éverton Ribeiro (Berrío), Lucas Paquetá e Vitinho; Fernando Uribe (Romulo)
Técnico: Dorival Júnior

FLUMINENSE: Júlio César, Ibañez (Dodi), Gum e Digão; Mateus Norton (Daniel), Richard, Jadson e Ayrton Lucas; Marcos Júnior (Matheus Alessandro), Everaldo e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

Foto - Divulgação

Um clássico carioca é uma das atrações da 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Flamengo e Fluminense se enfrentam neste sábado, às 17h (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), em um confronto onde os dois times buscam o triunfo por objetivos distintos. Embalado pela vitória de 3 a 0 sobre o Corinthians, em São Paulo, o Rubro-Negro, com 52 pontos, na terceira posição, tenta encurtar a distância, hoje de quatro pontos, para o líder Palmeiras. Já o Tricolor das Laranjeiras, que também está empolgado pela goleada de 4 a 0 sobre o lanterna Paraná Clube, tem 37 pontos e deseja se aproximar do G6, a zona de classificação para a próxima Copa Libertadores.

Seguir ganhando é considerado uma prioridade no Fluminense, que espera repetir o bom desempenho exibido diante do Paraná. “Nós podemos sonhar com coisas maiores neste Campeonato Brasileiro, pois estamos nos colocando aos poucos em um posicionamento melhor na tabela de classificação. Temos condições de fazer um bom jogo contra o Flamengo, mesmo se tratando de um rival muito qualificado e que tem um time leve e perigoso. O importante é mantermos a consistência que mostramos contra o Paraná”, disse o técnico Marcelo Oliveira.

Flamengo está na briga pelo título do Brasileiro (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O Flamengo segue a mesma linha de raciocínio. “A equipe vem se empenhando muito e jogando com grande intensidade, como é uma rotina nos times dirigidos pelo Dorival Júnior. Neste sentido nós vamos trabalhar para que o bom desempenho que mostramos contra o Corinthians se repita no clássico” afirmou o volante Lucas Paquetá.

 

O bom desempenho contra o Corinthians, porém, não poder gerar euforia para o clássico, na visão do treinador rubro-negro Dorival Júnior. “Foi uma atuação importante, mas perigosa no sentido de se acreditar que vamos repeti-la sempre. O trabalho vai ser sempre no sentido de melhorar e progredir, mas estamos falando de uma competição muito complicada e temos que pensar no jogo a jogo. O nosso pensamento está todo voltado para a partida contra o Fluminense”, declarou Dorival.

Com os dois times atravessando um bom momento, os tricolores esperam um duelo muito equilibrado. “Nós vamos encontrar um adversário muito bem preparado e precisamos estar em um grande dia se quisermos ganhar. Vai ser um duelo muito equilibrado. Os dois times estão atravessando um momento de crescimento e entendem muito bem o que representa ganhar um clássico em termos de pegar embalo, ainda mais em uma reta final de temporada. Será um duelo decidido nos detalhes”, disse o atacante Luciano.

Em termos de escalação, o Flamengo vai repetir o time que derrotou o Corinthians. Isso por que o meia Diego segue vetado com dores na coxa direita. Assim, Lucas Paquetá jogará mais adiantado e Willian Arão e Gustavo Cuéllar continuarão na proteção aos zagueiros. O goleiro Diego Alves continua entregue ao departamento médico e César será novamente o titular.

Fluminense sonha com vaga na Libertadores (Foto: Mailson Santana/Fluminense)

“O que a gente pode esperar é um grande jogo. A equipe do Fluminense é qualificada e vem de um bom resultado, assim como nós. Vamos buscar o resultado e será um grande jogo. Temos trabalhado para que a gente conquiste esses pontos que para nós são tão esperados”, afirmou César.

Pelo lado do Fluminense, Marcos Júnior segue na criação de jogadas, uma vez que Junior Sornoza está servindo à seleção equatoriana em amistosos internacionais. Emprestado pelo Flamengo, dono de seus direitos federativos, e também cumprindo suspensão por acúmulo de cartões amarelos, o lateral-direito Léo fica de fora. Como Gilberto, com edema ósseo na perna direita, segue vetado, Marquinhos Calazans deve ser improvisado no setor.

No primeiro turno do Campeonato Brasileiro as duas equipes se enfrentaram em Brasília (DF) e naquela ocasião os flamenguistas levaram a melhor e ganharam por 2 a 0. Henrique Dourado e Felipe Vizeu anotaram os golos do jogo.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO-RJ X FLUMINENSE-RJ

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de outubro de 2018 (Sábado)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)

FLAMENGO: César, Pará, Leo Duarte, Rever e Renê; Gustavo Cuellar, Willian Arão, Éverton Ribeiro, Lucas Paquetá e Vitinho; Fernando Uribe
Técnico: Dorival Júnior

FLUMINENSE: Júlio César, Ibañez, Gum e Digão; Marquinhos Calazans, Richard, Jadson e Ayrton Lucas; Marcos Júnior, Everaldo e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

 

A Seleção Brasileira disputa seu terceiro amistoso após a Copa do Mundo da Rússia na tarde desta sexta-feira. Às 15 horas (de Brasília), no Estádio King Saud, o time comandado pelo técnico Tite entra em campo com novidades na defesa para enfrentar a Arábia Saudita.

O lateral direito Fabinho, o zagueiro Pablo e o lateral esquerdo Alex Sandro, que não foram convocados para a última edição do Mundial, serão titulares. Ederson, Marquinhos e Casemiro, três remanescentes, completam a defesa. No ataque, Gabriel Jesus volta a iniciar.

“Sou um cara sonhador. Gosto de convencer para vencer. O que é convencer? É jogar bem. Senão, fica uma coisa ilusória: o resultado pelo resultado. Sei que tem que ganhar e a Arábia Saudita, também. Ao que eu me atenho? A um grande trabalho individual e coletivo. Convencer para vencer. É um pouco poético, mas é como vejo futebol”, disse Tite.

No banco de reservas da Arábia Saudita, estará o experiente ex-jogador Juan Antonio Pizzi, argentino de nacionalidade espanhola. Ganhador da edição de 2016 da Copa América no comando do Chile, ele espera tirar proveito da chance de enfrentar o Brasil.

“Para nós, é uma experiência muito boa. Sabemos da diferença histórica entre o futebol brasileiro e o da Arábia Saudita, mas também é um aprendizado, uma oportunidade para nos testarmos contra os melhores do mundo”, afirmou o treinador.

Eliminada na primeira fase da Copa do Mundo da Rússia, a Arábia Saudita terminou na terceira colocação do Grupo A. O time dirigido por Pizzi, goleado pela Rússia (5 x 0) na primeira rodada, na sequência perdeu do Uruguai (1 x 0) e se despediu com vitória sobre o Egito (2 x 1).

FICHA TÉCNICA
ARÁBIA SAUDITA x BRASIL

Data: 12 de outubro de 2018, sexta-feira
Local: Estádio King Saud, em Riade
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Danny Makkelie (HOL)
Assistentes: Mario Diks (HOL) e Hessel Steegstra (HOL)

ARÁBIA SAUDITA: Al-Owais; Al-Bulaihi, Al Mowalad e Hawsawi; Al-Khaibari, Al-Mogahwi, Al Shahrani e Al-Shehri; Al-Muwallad, Camara e Al-Sahlawi
Técnico: Juan Antonio Pizzi

BRASIL: Ederson; Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Casemiro; Fred, Renato Augusto, Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

De um lado, o trunfo da semana cheia e o objetivo da vaga na Libertadores. Do outro, um time com atenções divididas. Ambos, porém, cientes da importância de um clássico. Esse é o cenário resumido de Santos e Corinthians, que se enfrentam neste sábado, às 19h (de Brasília), no Estádio do Pacaembu, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 39 pontos, o Peixe entra na rodada ocupando a sétima colocação e com o grande desejo de buscar uma vaga que garanta o time de forma direta na fase de Grupos da Copa Libertadores de 2019. Já do lado do Timão, 11º colocado com 35 pontos, as atenções seguem destinadas em boa parte à decisão da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, o que deve fazer com que Jair Ventura arrisque um time alternativo.

Santos teve a semana cheia para trabalhar o time (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Para o compromisso no Pacamebu, o Santos tem dois desfalques certos: Alison, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Rodrygo, convocado para amistosos da seleção brasileira sub-20 contra o Chile. No meio-campo, Yuri é o mais cotado para herdar a vaga, com Renato e Jean Mota como alternativas. Já no ataque, Arthur Gomes treinou como titular, mas Derlis González retornou da seleção paraguaia e pode atuar.

 
PUBLICIDADE
 

Diferentemente do Corinthians, com atenções para a final da Copa do Brasil, o Peixe teve a semana livre para trabalhar no CT Rei Pelé, algo considerado um trunfo já que o técnico Cuca pôde testar várias opções e formações que podem ser utilizadas a fim de tentar surpreender justamente o comandante do Peixe no início da temporada, Jair Ventura.

“Escolher um é muito difícil, pois são setores diferentes e são jogadores importantes. O Alison é de uma marcação muito agressiva, não temos um substituto na característica dele. O Rodrygo, para mim, é um dos grandes jogadores do nosso campeonato. Eu adoro jogar junto, quando ele joga do meu lado, para mim é bom. É um jogador que a gente se dá bem, costumamos fazer boas tabelas. O Derlis tem uma característica diferente, mas vem muito bem. A gente fica feliz, porque se sai o Rodrygo, vem outro que está em boa fase”, disse o capitão Victor Ferraz, em entrevista coletiva.

Já do lado do Corinthians o discurso é de foco total no clássico, mas sem esquecer a decisão que o time terá na próxima quarta-feira, quando decide a Copa do Brasil contra o Cruzeiro, na Arena Alvinegra, precisando reverter a desvantagem proveniente da derrota por 1 a 0 em Belo Horizonte. Justamente por isso, a expectativa é de um Timão alternativo contra o Santos.

Danilo e Emerson Sheik devem ser titulares no clássico contra o Santos (Foto: Sergio Barzagui/Gazeta Press)

Com o objetivo de poupar o maior número de peças possíveis visando a final, o treinador Jair ventura deve dar minutos a atletas que pouco têm atuado na temporada, casos do experiente Danilo e o jovem Carlos Augusto, que deve herdar a vaga de Danilo Avelar na lateral-esquerda. Quem também deve aparecer entre os 11 iniciais são os atacantes Emerson Sheik e Pedrinho, além do goleiro Walter.

Mesmo diante da ideia de time misto, resta uma dúvida que deve ser sanada por Jair apenas horas antes do duelo. Fora da primeira partida da decisão na última quarta, Douglas pode ser promovido ao time titular. Porém, a possível titularidade do meio-campista no jogo que vale a taça da Copa do Brasil pode tornar Araos, expulso em Belo Horizonte, um dos escolhidos para começar.

Provável titular no clássico, o experiente Danilo, carrasco histórico do Peixe, não escondeu a ansiedade de voltar a ser titular em um jogo que, apesar de atenções divididas, não deixa de ser importante. “Estou esperando a oportunidade, espero que possa aparecer aí. Jair deve poupar alguns jogadores, quem sabe, se ele optar por mim é a oportunidade que estou esperando”, disse o meia de 39 anos em entrevista coletiva.

“Um clássico desse, a gente que não vem jogando ter uma oportunidade dessa. É uma oportunidade de ouro. A gente está bem preparado, vêm treinando bem. Espero que ele (Jair Ventura) possa optar por mim para jogar”, completou.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X CORINTHIANS

Local: Estádio Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: Sábado, 13 de outubro de 2018
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri (Renato ou Jean Mota); Arthur Gomes (Derlis González); Carlos Sánchez, Diego Pituca e Bruno Henrique; Gabigol.
Técnico: Cuca.

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Pedro Henrique, Marllon e Carlos Augusto; Douglas (Araos), Thiaguinho e Danilo; Pedrinho, Emerson Sheik e Jonathas.
Técnico: Jair Ventura

Em preparação para a Copa América de 2019, a Seleção Brasileira venceu mais um amistoso na tarde de sexta-feira. Jogando em Riade, capital da Arábia Saudita, o time canarinho passou longe de realizar uma atuação convincente, como queria o técnico Tite, e venceu a equipe anfitriã por 2 a 0, com gols de Gabriel Jesus – que desencantou após passar a Copa do Mundo em branco – e Alex Sandro.

Tite aproveitou a fragilidade do adversário para fazer alguns testes na Seleção. Começou com a linha defensiva reserva, com Fabinho e Alex Sandro nas laterais e Marquinhos e Pablo no miolo de zaga. Também colocou Richarlison e Arthur em campo durante o segundo tempo, além de Lucas Moura, que voltou a defender o Brasil depois de dois anos.

Após derrotar Estados Unidos (2 x 0), El Salvador (5 x 0) e Arábia Saudita (2 x 0), o Brasil enfrentará a Argentina na próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em Jidá, no seu teste mais difícil após o Mundial da Rússia. Já a Arábia Saudita duelará com o Iraque às 14h45 do mesmo dia.

 

O Jogo – O Brasil foi melhor no primeiro tempo, mas sofreu para furar o bloqueio saudita. Após um início morno, a Seleção chegou com perigo pela primeira vez aos dez minutos, quando Neymar concluiu cruzamento em cima do goleiro.

O camisa 10, aliás, era o que mais buscava o jogo pelo lado brasileiro. Aos 19, ele fez fila pelo meio e bateu na entrada da área, mas mandou para fora. Pouco depois, após cobrança de falta pela esquerda, Gabriel Jesus subiu livre e exigiu grande defesa de Al-Owais.

Firmes na marcação, os donos da casa chegaram algumas vezes com perigo em contra-ataques. Em um deles, Casemiro evitou o gol saudita ao travar chute dentro da área. Aos 42, Gabriel Jesus recebeu grande passe de Neymar na direita e tocou na saída do goleiro, finalmente abrindo o placar em Riade.

O Brasil voltou do intervalo com Lucas Moura no lugar do apagado Fred. Logo aos seis minutos, o atacante saiu na cara do gol após passe de Neymar, mas chutou em cima do goleiro e desperdiçou a chance de marcar em seu retorno à Seleção.

Pouco depois, Neymar arriscou de fora da área e resvalou a trave, quase ampliando a vantagem brasileira. No entanto, com erros na saída de bola, o time visitante proporcionou boas chances aos sauditas, que as desperdiçaram em função de sua ineficiência nas finalizações.

Em busca do segundo gol, Tite colocou Richarlison e Arthur nas vagas de Gabriel Jesus e Philippe Coutinho. No fim, o goleiro Al-Owais tocou a bola com a mão fora da área e foi expulso. Aos 51 minutos, após cobrança de escanteio, Alex Sandro subiu livre e, de cabeça, deu números finais à partida.

FICHA TÉCNICA
ARÁBIA SAUDITA 0 x 2 BRASIL

Data: 12 de outubro de 2018, sexta-feira
Local: Estádio King Saud, em Riade
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Danny Makkelie (HOL)
Assistentes: Mario Diks (HOL) e Hessel Steegstra (HOL)
Público: 23.401 torcedores
Cartão Amarelo: Otayf (Arábia Saudita)
Cartão Vermelho: Al-Owais (Arábia Saudita)
Gols: BRASIL: Gabriel Jesus, aos 42 minutos do 1º tempo, e Alex Sandro, aos 51 do 2º tempo

ARÁBIA SAUDITA: Al-Owais; Al-Burayk (Al-Mullawad), Omar Housawi, Al-Bulayhi e Al-Shahrani; Otaif; Al-Moqahwi (Ghaleb), Al-Faraj, Al-Bishi (Al-Shehri) e Al-Dawsari; Bahbri (Malayekah)
Técnico: Juan Antonio Pizzi

BRASIL: Ederson; Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Casemiro (Walace); Fred (Lucas Moura), Renato Augusto, Philippe Coutinho (Arthur) e Neymar; Gabriel Jesus (Richarlison)
Técnico: Tite

Corinthians teve uma exibição muito ruim na noite desta quarta-feira, no Mineirão, na partida de ida da final da Copa do Brasil. Com dificuldades para criar e salvo por Cássio em algumas oportunidades, deixando o Cruzeiro ter chances claras de ampliar o marcador, o Alvinegro saiu no lucro com a derrota por 1 a 0. O único gol da partida foi marcado por Thiago Neves, nos acréscimos da etapa inicial

Com o resultado, o Corinthians, que contou com uma linda festa da torcida para se aguentar em campo. agora precisa vencer por dois gols de diferença em casa para reverter a vantagem adversária e conseguir chegar ao seu quarto título da competição. Do outro lado, os mineiros terão de empatar para segurar o resultado e conquistar o sexto troféu do torneio na sua história, sendo o segundo consecutivo. Vitória simples dos paulistas leva a decisão aos pênaltis.

O jogo da volta está marcado para o dia 17, quarta-feira da semana que vem, na Arena, em Itaquera. Antes disso, no entanto, os comandados de Jair Ventura terão pela rente um clássico contra o Santos, no sábado, no Pacaembu. Em situação incômoda no Brasileiro, o Timão não pode se dar ao luxo de abandonar o Nacional ainda que esteja às vésperas de uma decisão. A Raposa, por sua vez, visitará o Vasco, domingo, no Rio.

Thiago Neves comanda o Cruzeiro

O Corinthians entrou em campo claramente para esfriar o ritmo de jogo do habilidoso time do Cruzeiro e, ajudado pela ótima presença da sua torcida, foi capaz de passar ileso pelos primeiros 15 minutos de bola rolando. Romero, brigando sempre pela bola na ponta direita e conseguindo levar vantagem sobre Egídio, foi quem mais contribuiu para que a pressão inicial arrefecesse e os donos da casa jogassem um pouco mais atrás.

Quem não havia aparecido até aquele momento, no entanto, era o meia Thiago Neves, que resolveu dar as caras. No primeiro lance de perigo, chutou forte da entrada da área e obrigou Cássio a fazer boa defesa. Depois, em vacilo da zaga corintiana, teve espaço para ajeitar à perna direita e arriscar também da entrada da área. O goleiro corintiano escorregou e levaria o gol caso a bola não tivesse batido na trave e saído.

Sem poder contar com a precisão de Jadson, muito mal na partida, o Alvinegro passou a sofrer mais e mais com a habilidade do adversário. Às vezes os paulistas passavam do meio-campo, mas era a senha para que os anfitriões pressionassem até que a bola fosse recuada a Cássio. Em um desses lances, o goleiro foi mal e obrigou Léo Santos a parar Rafinha com falta. Na cobrança, porém, operou um milagre e corrigiu tudo.

O duelo parecia caminha para um empate sem gols no intervalo quando Henrique, livre de marcação, não conseguiu dominar uma bola simples na lateral esquerda. O erro do zagueiro fez com que o ataque cruzeirense rodasse a redonda até Egídio, que passou por Romero e cruzou na segunda trave. Thiago Neves, livre, não conseguiu cabecear forte, mas acertou o próprio Henrique e viu a bola enganar Cássio, indo para o fundo da rede.

O Corinthians voltou para o segundo tempo sem qualquer alteração na sua formação, apostando mais na marcação adiantada para diminuir o tempo de posse de bola do adversário. Gabriel, por exemplo, subiu uma linha de marcação e posicionou-se lado a lado com Mateus Vital, puxando os companheiros para dificultar a saída de bola. Com isso, o Timão ao menos teve mais tempo perto do gol de Fábio.

Como todo bom time de Mano Menezes, porém, o time da casa também soube muito bem esperar os alvinegros, buscar uma roubada de bola e partir no contra-ataque. Com Thiago Neves e Barcos poupados na hora de acompanhar os corintianos, os mandantes quase ampliaram em rápida escapada pela direita. Robinho recebeu de Thiago e cruzou na segunda trave. Barcos ganhou de Léo Santos e tentou no contrapé de Cássio, mas mandou para fora.

Jair mexeu para dar mais habilidade ao seu meio-campo, com Pedrinho e Araos nas vagas de Clayson e Mateus Vital. O chileno conseguiu dar bom toque de bola com o companheiro, pela direita, mas nada que incomodasse muito a equipe do Cruzeiro. Foi o time da casa, aliás, que quase ampliou em uma falta cobrada por Robinho pelo lado que Dedé, absoluto pelo alto, cabeceou no canto e mandou rente à trave.

Jair ainda tentou uma última injeção de ânimo na equipe com a entrada de Emerson Sheik no lugar do apagado Jadson, pouco produtivo durante a noite. Do outro lado, Mano renovou o seu ataque com Raniel, David e Rafael Sóbis. O ímpeto final dos alvinegros pouco incomodou o Cruzeiro e ainda foi atrapalhado pelo segundo amarelo de Araos, expulso nos acréscimos para fechar a má apresentação corintiana.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 x 0 CORINTHIANS 

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 10 de outubro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO)
Público: 53.368 total (46.308 pagantes)
Renda: R$ 4.169.226,50
Cartões amarelos: Thiago Neves, Henrique e Egídio (Cruzeiro); Léo Santos, Araos e Jadson (Corinthians)
Cartão vermelho: Araos (Corinthians)

GOLS:
Cruzeiro
: Thiago Neves, aos 46 minutos do primeiro tempo

 

CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Rafinha (Rafael Sóbis), Thiago Neves (David) e Robinho; Barcos (Raniel)
Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Gabriel, Mateus Vital (Araos) e Jadson (Emerson Sheik); Clayson (Pedrinho) e Romero
Técnico: Jair Ventura

Mais Artigos...