Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

O Botafogo manteve a boa sequência e venceu por 1 a 0 o Internacional, neste domingo, no Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Com o resultado, os alvinegros chegaram a 47 pontos, acabaram de vez com o risco de rebaixamento e passa a sonhar com um lugar no G6 nas últimas rodadas. Já os gaúchos seguem com 65, ficaram mais distante do título e caíram para a terceira posição da Série A.

Na próxima rodada, o Botafogo terá pela frente o Santos, na Vila Belmiro, nesta quarta-feira. No mesmo dia, o Internacional volta campo, contra o Atlético-MG, no Beira-Rio.

O jogo – O Botafogo começou melhor a partida e chegou com perigo logo aos quatro minutos. Após boa troca de passes, Leo Valencia chutou de fora da área e viu a bola passar sobre o travessão. O Internacional não se intimidou e respondeu no minuto seguinte com Nico López. No entanto, a finalização foi em cima de Gatito Fernández.

Os donos da casa continuaram sendo mais objetivos e quase abriram o placar aos 15 minutos. Leo Valencia cobrou falta, mas a bola passou muito perto da trave de Marcelo Lomba. Depois, em avanço rápido, Brenner recebeu passe na área e tentou o toque para Erik. Victor Cuesta estava atento para salvar os gaúchos.

O Internacional parecia sofrer com o forte calor do Rio de Janeiro e pouco incomodava a zaga alvinegra. Por outro lado, o Botafogo chegava com facilidade ao ataque, mas pecava nas finalizações.

Nos minutos finais, os donos da casa pressionaram e chegaram ao gol aos 42 minutos. Após cruzamento na área, Zeca errou o tempo da bola, que chegou em Erik. O atacante dominou e chutou sem chance para Marcelo Lomba. Assim, os alvinegros foram para o intervalo com a vantagem no placar no Nilton Santos.

No segundo tempo, o Internacional voltou com outra postura, mas continuava tendo problemas na parte ofensiva. O Botafogo passou a avançar nos contra-ataques e teve a primeira boa chance aos dez minutos. Luiz Fernando tocou para Marcinho no bico da área. O lateral chutou cruzado para boa defesa de Marcelo Lomba.

No minuto seguinte, os alvinegros desperdiçaram nova oportunidade. Brenner foi lançado, entrou na área e tentou driblar Marcelo Lomba. No entanto, o goleiro estava bem posicionado para salvar os gaúchos.

O Internacional só teve boa chance aos 17 minutos. Após falta cobrada na área, Brenner tentou cortar o perigo e mandou em direção para a rede. Gatito Fernández estava atento e fez grande defesa para salvar os cariocas.

O lance animou os visitantes, que passaram a dominar o confronto. Mesmo assim, o Internacional seguia sem levar perigo. O Botafogo permanecia com espaço para os contra-ataques, mas os erros noa passes impediam a criação de boas jogadas. Só que aos 33 minutos, Leo Valencia recebeu passe de Kieza na área e, de frente para Marcelo Lomba, não conseguiu passar pelo goleiro gaúcho.

Com o passar do tempo, os gaúchos se lançaram ao ataque, mas era o Botafogo que desperdiçava boa chances. Aos 37 minutos, em avanço rápido, Rodrigo Pimpão foi lançado e tentou por cobertura. Só que Marcelo Lomba se esticou para salvar os visitantes.

Somente aos 40 minutos, o Internacional voltou a assustar. Após cruzamento, Rodrigo Moledo finalizou no canto. Gatito Fernández se esticou para fazer a defesa e impedir o empate. Depois disso, o Botafogo tratou de segurar a vantagem e ainda viu os visitantes ficarem com dois homens a menos nos acréscimos com as expulsões de Wellington Silva e Rodrigo Moledo.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 0 INTERNACIONAL

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 18 de novembro de 2018 (Domingo)
Horário: 17h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)
Renda: R$ 156.802,50
Público: 17.373 pagantes

Cartões amarelos: Edenilson, D’Alessandro e Rodrigo Dourado (Internacional); Rodrigo Pimpão e Joel Carli (Botafogo)
Cartões vermelhos: Wellington Silva e Rodrigo Moledo (Internacional)
GOL
BOTAFOGO: Erik, aos 42min do primeiro tempo

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão) e Leonardo Valencia (Renatinho); Erik e Brenner (Kieza)
Técnico: Zé Ricardo

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Zeca (Wellington Silva), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago, Rodrigo Dourado, Edenílson, D´Alessandro e Patrick (Camilo); Nico López (Rossi) e Leandro Damião
Técnico: Odair Hellmann

Rafael Moura fez um dos gols do América-MG (Foto: Mourão Panda/América-MG)

O Santos perdeu por 2 a 1 para o América-MG nestedomingo, no Estádio Independência. O gol do Peixe foi marcado por Gabigol. Os donos da casa balançaram as redes com Rafael Moura e Matheusinho.

Com a quarta derrota consecutiva, o Alvinegro caiu para a 10ª colocação, com 46 pontos, sete atrás do Atlético-MG, primeiro no G6, a três rodadas do fim. Santos e Galo se enfrentarão na 37ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

O América subiu duas colocações e agora é o 17º, ainda na zona de rebaixamento, com 37 pontos. Chapecoense, a 18ª, e Ceará, o 16º, ainda jogarão na rodada.

O Coelho voltará a campo para enfrentar o líder Palmeiras, quarta-feira, no Allianz Parque, às 21h45. O Peixe receberá o Botafogo, também na quarta, na Vila Belmiro, às 21h.

O JOGO

O Santos começou melhor o jogo e teve chances consecutivas com Gabigol e Copete para abrir o placar. Aos oito minutos, porém, o América-MG acertou o travessão do goleiro Vanderlei em chute forte de Ademir. E daí em diante, só deu os donos da casa.

Um minuto depois, Guilherme Nunes sentiu problema no quadril e deu lugar ao veterano Renato. A experiência do camisa 8 não surtiu efeito e o América seguiu em cima. Matheusinho chutou fraco aos 12 e Ademir tentou duas vezes aos 18 e aos 21.

Aos 30, a pressão surtiu efeito. Em falha coletiva do Santos, Dodô perdeu para o Luan caído no chão, Alison saiu errado, Gustavo Henrique furou após passe de Ademir e Diego Pituca foi facilmente driblado por Rafael Moura. O He-Man chutou bonito para vencer Vanderlei.

No minuto 37, Rafael Moura quase ampliou. Carlinhos cruzou, Gustavo Henrique falhou novamente e o centroavante chutou forte para ótima defesa do goleiro Vanderlei. E quando tudo indicava a vitória parcial do América-MG antes do intervalo, veio a surpresa.

Copete derrubou Ademir, mas a arbitragem não marcou falta. O colombiano inverteu o jogo e Bruno Henrique cruzou bonito para Gabigol, artilheiro do Campeonato Brasileiro, finalizar ainda mais bonito aos 45 minutos. Empate injusto antes do apito do juiz.

APATIA SANTISTA

O gol “achado” no fim do primeiro tempo não serviu para o Santos acordar. A etapa final teve o América-MG novamente com mais iniciativa, mantendo a posse de bola e criando as principais oportunidades.

Sem espaço para entrar na área santista, o América apostou em finalizações de longe – e deu certo. Aos 19, Matheusinho recebeu na intermediária completamente sozinho. O jovem arriscou e contou com desvio em Gustavo Henrique para matar Vanderlei. 2 a 1 no placar.

Com a vantagem, o América-MG se fechou e deixou a bola com o Santos. Apático, o time não parecia desesperado para ainda sonhar com uma vaga na Libertadores da América em 2019. O Peixe não reagiu e não criou uma chance sequer de empatar novamente.

Enquanto isso, o América quase ampliou. Aos 38 minutos, Christian acertou a trave em cobrança de falta. Os donos da casa administraram nos instantes finais e conseguiram a importante vitória.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 2 x 1 SANTOS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 18 de novembro de 2018 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (SC) e Heronildo Freitas da Silva (PA)
Público e renda: 4.652/R$ 31.955,00
Cartões amarelos: AMÉRICA-MG: Norberto, Zé Ricardo, Rafael Moura e Christian. SANTOS: Bruno Henrique

GOLS
América-MG: Rafael Moura, aos 30 do 1T, e Matheusinho, aos 19 do 2T;
Santos: Gabigol, aos 45 do 1T.

AMÉRICA-MG: João Ricardo, Norberto, Messias, Matheus Ferraz e Carlinhos (Giovanni); Juninho, Zé Ricardo e Matheusinho (Christian); Ademir (Aylon), Luan e Rafael Moura
Técnico: Givanildo Oliveira

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Alison, Gustavo Henrique e Dodô; Bruno Henrique (Arthur Gomes), Guilherme Nunes (Renato), Diego Pituca e Copete (Eduardo Sasha); Rodrygo e Gabigol
Técnico: Cuca

O Vitória está cada vez mais perto do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o time baiano recebeu o Atlético-PR no Barradão e não conseguiu reagir, perdendo por 2 a 1 diante de sua torcida e estacionando na 18ª colocação, com 36 pontos. Os gols do Furacão foram marcados por Ramon (contra) e Bruno Guimarães. Neilton, de pênalti, descontou para os donos da casa.

Agora, o Vitória terá de torcer por um tropeço do Ceará contra o Fluminense, na próxima segunda-feira, e da Chapecoense contra o Grêmio, neste domingo. Ambos os rivais diretos na luta contra o rebaixamento jogarão fora de casa.

O Atlético-PR, por sua vez, conquistou sua primeira vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro e entrou na zona de classificação para a pré-Libertadores, embora sua prioridade seja a Copa Sul-Americana, torneio em que está na semifinal e com grandes chances de decidir o título.

Neste sábado, Furacão manteve o ótimo momento que vive neste fim de temporada (Foto: Miguel Locatelli/Site Oficial)

O jogo – Logo aos seis minutos de partida, o Atlético-PR por pouco não abriu o placar. Em cobrança de falta ensaiada, Pablo deixou para Raphael Veiga, que bateu rasteiro, por baixo da barreira, exigindo boa defesa do goleiro João Gabriel.

Passado o susto inicial, o Furacão não se acomodou e não demorou muito para balançar as redes. Se aos seis minutos não deu para Raphael Veiga, aos 25 minutos o time visitante teve um pouco mais de sorte e abriu o placar graças ao gol contra do zagueiro Ramon. Após cobrança de falta pela esquerda, Pablo cabeceou na trave, a bola voltou para os pés do defensor do Vitória, que se atrapalhou todo e acabou jogando contra a própria meta.

Não satisfeito com a vantagem, o Atlético-PR ainda teve a oportunidade de ir para o intervalo com 2 a 0 no marcador e só não balançou as redes novamente por causa de João Gabriel. Aos 46 minutos, Raphael Veiga recebeu de Marcelo Cirino dentro da área e soltou um petardo, mas viu o goleiro do Vitória fazer grande intervenção para segurar o ímpeto dos visitantes.

No segundo tempo, o técnico Tiago Nunes promoveu algumas mudanças na equipe e, consequentemente, o desempenho caiu um pouco. Procurando se aproveitar das alterações, o Vitória reagiu aos 13 minutos, quando Léo Ceará soltou uma bomba em cobrança de falta, mandando por cima da barreira e vendo a bola passar raspando a trave esquerda do goleiro do Atlético-PR.

Na reta final da partida, o Atlético-PR, sem qualquer misericórdia do rival, cada vez mais próximo do rebaixamento, ainda pressionou em busca do segundo gol. Aos 36 minutos, Nikão, livre da marcação, foi conduzindo a bola e soltou uma bomba, carimbando a trave de João Gabriel. Um pouco mais tarde, aos 40, o Furacão foi mais feliz e acabou ampliando com Bruno Guimarães, que recebeu na entrada da área e bateu na saída do goleiro.

Já nos acréscimos, aos 46 minutos, o Vitória ainda descontou com Neilton, em cobrança de pênalti devido à falta de Wellington em Léo Ceará dentro da área, porém, o tento de honra do Leão não foi suficiente para evitar as vaias da torcida ao final do duelo. 

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 1 X 2 ATLÉTICO-PR

Local: estádio Barradão, em Salvador (BA)
Data: 17 de novembro de 2018, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

Público: 8.440 torcedores
Renda: R$ 61.140,00

GOLS: Ramon (contra), aos 25 minutos do 1ºT, e Bruno Guimarães, aos 40 minutos do 2ºT (Atlético-PR); Neilton, aos 46 minutos do 2ºT (Vitória)
Cartões amarelos: Jeferson, Rhayner e Lucas Fernandes (Vitória); Jonathan, Léo Pereira e Bruno Guimarães (Atlético-PR)
Cartão vermelho: Jeferson (Vitória)

VITÓRIA: João Gabriel; Jeferson, Ramon, Lucas Ribeiro e Fabiano; Willian Farias (Yago), Léo Gomes e Rhayner (Neilton); Erick (Nickson), Léo Ceará e Lucas Fernandes
Técnico: João Burse

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Wanderson, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Camacho, Bruno Guimarães e Raphael Veiga (Marcinho); Marcelo Cirino (Nikão), Pablo e Rony
Técnico: Tiago Nunes

Foto - Divulgação

As seleções de futebol do Brasil e Uruguai se enfrentam em jogo amistoso nesta sexta-feira (16), às 18h, em Londres. A equipe brasileira jogará desfalcada de dois titulares: Phillipe Coutinho e Marcelo, afastados por contusões. O treinador Tite chamou para o lugar deles: Renato Augusto e Alex Sandro.

Hoje (15), a seleção fez o último treino no Centro de Treinamento do Arsenal, antes de enfrentar o Uruguai. O técnico Tite pôde finalmente trabalhar com todos os jogadores, entre eles, o atacante Richarlison e o meia Arthur.

Arthur tem se destacado por um futebol marcado pela qualidade no passe de bolas
Arthur tem se destacado por um futebol marcado pela qualidade no passe de bolas - Direitos reservados/Lucas Figueiredo - CBF

Visto pela imprensa como um jogador com uma qualidade excepcional na distribuição de bolas, Arthur, que joga atualmente no Barcelona, disse que essa qualidade é consequência do trabalho dos técnicos pelos quais passou.

“Tive vários treinadores importantes na base e sou grato ao Grêmio pela minha formação, mas esse estilo é minha maneira de enxergar o futebol. Veio comigo desde sempre, e fico feliz por estar dando resultado e por chegar a um dos maiores clubes do mundo e à seleção brasileira, que é o sonho de toda criança”.

 

Agencia Brasil

Mateus Vital passou 15 dos seus 20 anos de idade no Vasco. Foi criado, formado e se profissionalizou no futebol graças ao clube cruzmaltino. Quis o destino que ele estivesse em campo nesse sábado, mas com a camisa do Corinthians, justamente para afundar o o alvinegro carioca no Campeonato Brasileiro. O jovem evitou comemorar efusivamente por respeito ao seu ex-clube, mas garantiu uma enorme festa da Fiel na Arena de Itaquera. O triunfo por 1 a 0 nessa 35ª rodada do Campeonato Brasileiro alivia os corintianos e praticamente garante o clube na Série A do ano que vem.

O Timão agora soma 43 pontos e fica provisoriamente na 12ª colocação. O Vasco, com 39 pontos, é o 14ª e pode terminar a rodada como o mais novo membro da zona de rebaixamento com apenas três compromissos para o fim da competição.

Apesar da necessidade de ambas as equipes pela vitória, o primeiro tempo evidenciou o motivo de tanto Corinthians quanto Vasco lutarem apenas peça permanência na elite. Cássio e Fernando Miguel praticamente só trabalharam na hora de cobrar tiros de meta.

O jogo pegou fogo mesmo na etapa final. Com apenas dois minutos, Fagner cruzou para Jadson chegar no carrinho e assustar os vascaínos. A jogada estava cantada. Não passou muito tempo e o lateral direito, também ex-Vasco, levantou na área. Dessa vez Mateus Vital não perdoou e mandou, de cabeça, para o fundo do gol.

Foi apenas o segundo gol de Vital com a camisa do Corinthians. O meia não marcava há 29 partidas. A comemoração foi tímida, bem diferente do reflexo nas arquibancadas.

A partir daí, só deu Vasco. Clayson, Roger e Araos ainda entraram nas vagas de Vital, Danilo e Thiaguinho, mas a postura dos comandados de Jair Ventura não mudou. Nos lances de maior risco, Danilo Avelar puxou Marrony dentro da área, mas a arbitragem ignorou, e Oswaldo acertou o travessão de Cássio. Roger teve a grande oportunidade de aliviar os corintianos mais cedo, mas mandou para fora.

Assim, o drama persistiu até o apito final, quando, enfim, a maioria dos 38.835 torcedores soltaram o grito de vitória.

Agora sem tanta pressão, o Corinthians volta a campo na quarta-feira, em Curitiba, quando visita o Atlético-PR. Por outro lado, sob o temor de sofrer seu quarto rebaixamento, o Vasco recebe o São Paulo na quinta, em São Januário.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 x 0 VASCO

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 17 de novembro de 2018 (Sábado)
Horário: 19h00 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Cartões amarelos: Jadson, Fagner (SCCP); Fernando Miguel, Leandro Castán (CRVG)
Cartão vermelho: Alberto Valentim (CRVG)
Renda: R$ 1.350.777,50
Público: 38.835 total

GOL:
Corinthians: Mateus Vital, aos 7 minutos do 2T.

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Thiaguinho, Jadson, Pedrinho e Mateus Vital (Clayson); Danilo
Técnico: Jair Ventura

VASCO: Fernando Miguel, Raul (Caio), Leandro Castán, Oswaldo Henríquez e Henrique; Leandro Desábato, Andrey (Dudu), Yago Pikachu e Thiago Galhardo; Kelvin (Marrony) e Andrés Rios
Técnico: Alberto Valentim

BRASILEIRÃO - JOGOS DA 35 RODADA

 

O Internacional venceu nesta quinta o América-MG por 2 a 0 no Estádio Beira-Rio pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem a presença de D´Alessandro, suspenso, o Colorado não encontrou dificuldades de impor o seu futebol e definir o resultado no primeiro tempo. Os destaques ficaram por conta das atuações de Edenílson, Wellington Silva e Leandro Damião. Por outro lado, o Coelho está cada vez mais próximo de voltar a Série B.

Com o resultado, o Internacional segue em segundo lugar, com 65 pontos e mantém a diferença de cinco pontos para o líder Palmeiras. E o América está em penúltimo lugar, com 34 pontos.

Na próxima rodada o Internacional visita no domingo o Botafogo, às 17h00 (horário de Brasília), no Engenhão. No mesmo dia e horário o América-MG recebe o Santos no Independência.

O Jogo

Com o passar do tempo, o Internacional empurrou o América-MG para o seu campo de defesa. Aos 04, Edenílson cobrou escanteio em curva. João Ricardo quase errou a passada, mas conseguiu tocar na bola e ceder novo escanteio. Três minutos depois, Nico cruzou na cabeça de Damião. João Ricardo espalmou. No rebote, Edenílson chutou cruzado, mas a bola saiu.

Os donos da casa se mostram mais incisivos ofensivamente, porém pecam nas finalizações. Já o Coelho se fechou na defesa e tentou especular jogadas de contra-ataque.

Finalmente após tanto insistir, o Colorado chegou ao primeiro gol. Aos 23, Edenílson encontrou Leandro Damião na área, que chutou sem chances a João Ricardo. Esse tento marcado pelo centroavante o faz entrar no top 10 dos artilheiros do Inter na história, com 108 e igualou com Adãozinho. Por sua vez, os visitantes não ameaçam a meta de Lomba.

Dois lances polêmicos na sequência da partida. Aos 36, após escanteio cobrado por Gerson Magrão, a bola bateu em Cuesta e os jogadores do time mineiro pediram mão do argentino dentro da área. Logo na sequência, Edenílson arrancou e desabou no gramado após choque, pedindo pênalti, mas Wilton Pereira Sampaio mandou o jogo seguir. Uma penalidade claríssima não apitada pelo árbitro.

Correndo atrás do prejuízo, o América-MG começou a deixar espaços para as jogadas de velocidade do Inter. Aos 42, Nico recebeu e arriscou de fora da área. João Ricardo saltou e evitou o segundo gol Colorado. Que chance o Coelho perdeu para empatar o jogo. Aos 43, Gerson Magrão lançou Carlinhos, que cruzou para Rafael Moura, mas o He-Man não alcançou.

Numa jogada letal de contra-ataque os vermelhos ampliam o placar. Aos 45, Leandro Damião dá assistência para Edenílson e o volante tocou para o fundo da rede. O Colorado não encontrou dificuldades na etapa inicial e com naturalidade está derrotando o time mineiro. Nem mesmo com a estreia do técnico Givanildo de Oliveira, o América-MG não conseguiu mostrar um bom futebol.

O panorama do segundo tempo permanece com o Inter, dono das ações do jogo e mais próximo do terceiro gol. Enquanto os mineiros fazem força para reagir.

Em uma das suas raras vindas ao ataque, o Coelho assustou. Aos 09, Rafael Moura recebeu dentro da área e chutou forte. Marcelo Lomba tocou na bola, que ainda acertou o poste, mas não entrou. Apesar de ter mais a posse de bola, os mineiros esbarram em suas limitações técnicas.

Houve queda de rendimento do Internacional que procurou administrar o resultado. Já o Coelho não desistiu de tentar descontar o placar. Aos 27, Moledo cortou. No rápido contragolpe, Juninho vai a linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro. Rafael Moura furou constrangedoramente e Ademir chutou firme. Lomba defenderia, mas Moledo cortou, mandando para longe.

A equipe vermelha administrou o resultado, diminuiu o ritmo e recuou as suas linhas defensivas para o seu campo. E assim conseguiu o seu objetivo e atingiu importante triunfo para seguir vivo na briga pelo título. Com muito esforço e vontade, o Coelho bem que tentou reagir, mas sem nenhuma efetividade ofensiva.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 0 AMÉRICA-MG

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Data:  15 de novembro (Quinta-feira)
Horário: 21h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Renda: R$ 654.065,00
Público Total: 28.973
Cartão amarelo: Fabiano (Internacional), Rafael Moura (América-MG)

Gols: Leandro Damião (Internacional), aos 23 minutos, Edenílson (Internacional) e aos 45 minutos do primeiro tempo.

Internacional: Marcelo Lomba, Fabiano (Zeca), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago, Rodrigo Dourado, Edenílson, Patrick e Wellington Silva (Rossi) , Nico López e Leandro Damião (Jonatan Alvez).
Técnico:Odair Hellmann

América-MG: João Ricardo; Norberto, Ricardo Silva, Matheus Ferraz, Carlinhos; Leandro Donizete (Juninho), Zé Ricardo, Ademir (Robinho), Gerson Magrão (Giovani); Luan e Rafael Moura.
Técnico: Givanildo Oliveira

Mais Artigos...