Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

O Flamengo segue vivo na briga pelo título do Brasileiro. O time carioca derrotou o Grêmio por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pela 36ª rodada da competição e chegou aos 69 pontos, mantendo-se cinco pontos atrás líder Palmeiras, que goleou o América-MG por 4 a 0 em São Paulo. O resultado, porém, foi fundamental para os flamenguistas se garantirem matematicamente na fase de grupos da Libertadores.

Se o Flamengo está na fase de grupos, o Grêmio corre o risco justamente de deixar o G4, pois estacionou nos mesmos 62 pontos do São Paulo, que ainda joga pela rodada nesta quinta-feira, quando visita o Vasco em São Januário.

O jogo – O Flamengo começou a partida com mais posse de bola, tentando acuar o Grêmio no campo de defesa. Porém, como os gremistas congestionavam o próprio campo, a criação de jogadas ficava muito comprometida. A primeira oportunidade de gol dos cariocas foi aos 11 minutos, em um chute de fora da área de Everton Ribeiro, que fez a bola passar sobre o travessão.

Aos 22 minutos por muito pouco a torcida flamenguista não gritou “gol”. Vitinho cruzou e Fernando Uribe cabeceou para acertar a trave esquerda do goleiro Paulo Victor. Acuado em seu campo, o Grêmio tinha dificuldades de trocar passes na busca do contra-ataque. A maior prova disso foi que a primeira defesa do goleiro César aconteceu aos 32 minutos, em um chute de fora da área de Ramiro, facilmente defendido pelo arqueiro flamenguista.

O Flamengo seguiu pressionando e aos 34 minutos quase chegou ao gol graças a uma bela jogada individual de Cuéllar, que invadiu a área e cruzou, Uribe dividiu com o goleiro e a bola sobrou para Renê chutar sobre o gol, desperdiçando grande oportunidade.

Aos 42 minutos Diego arriscou um chute de fora da área e Paulo Victor fez grande defesa, cedendo escanteio e garantindo que o placar não se mexesse antes do intervalo.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo o Flamengo mostrou que voltou disposto a decidir o jogo. Após triangulação ofensiva a bola sobrou para Pará que, na grande área, chutou para grande defesa do goleiro. Na cobrança de escanteio a zaga do Grêmio se confundiu na marcação e Fernando Uribe pegou de primeira para anotar um golaço. O atacante levantou muito o pé e acabou cometendo falta em Cortez no lance, o que gerou a revolta dos gremistas.

Com a desvantagem o Grêmio adiantou a marcação e por muito pouco não empatou aos 16, quando Alisson fez boa jogada e cruzou para a cabeçada de Everton, defendida com dificuldade por César. O Flamengo respondeu um minuto depois, quando Réver cabeceou após cobrança de escanteio de Vitinho. Paulo Victor defendeu em cima da linha.

A torcida do Flamengo foi ao desespero com Vitinho aos 23 minutos. Em um contra-ataque ele recebeu de Diego e chutou, livre de marcação, sobre o gol, isolando a bola.

A partir daí o Flamengo passou a tentar controlar o jogo, chamando o Grêmio para seu campo e tentando explorar mais os contra-ataques. A estratégia, porém, deixou o time acuado em alguns momentos, como aos 38, quando Thaciano cruzou e Everton cabeceou para fora.

O goleiro do Flamengo operou um verdadeiro milagre aos 42 minutos. Alisson cruzou, Pedro Geromel cabeceou e César se esticou para ceder escanteio. Na resposta dos cariocas, no minuto seguinte, Marlos Moreno foi lançado e Paulo Victor se jogou aos pés do colombiano para evitar o segundo gol.

O Flamengo, porém, liquidou o jogo aos 44 minutos. Orlando Berrío foi lançado pelo lado esquerdo em velocidade em um contra-ataque, avançou e cruzou para Diego, na pequena área, escorar para o fundo da rede e sair para abraçar a galera no Maracanã, mantendo vivo o sonho do título para os cariocas.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo, às 17h(de Brasília). O Flamengo visita o Cruzeiro no Mineirão, em Belo Horizonte (MG). Já o Grêmio vai ao Estádio Barradão, em Salvador (BA), medir forças com o Vitória.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO-RJ 2 X 0 GRÊMIO-RS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 21 de novembro de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kléber Lucio Gil (Fifa-SC) e Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG)
Renda: R$ 701.361,00
Público: 33.932 pagantes
Cartões amarelos: Gustavo Cuéllar e Diego (Flamengo) e Matheus Henrique e Ramiro (Grêmio)
Gols:
FLAMENGO: Fernando Uribe aos 2 e Diego aos 44 minutos do 2º Tempo

FLAMENGO: César, Pará, Rhodolfo, Réver e Renê; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho (Marlos Moreno); Fernando Uribe (Orlando Berrío)
Técnico: Dorival Júnior

GRÊMIO: Paulo Victor, Leonardo Gomes, Pedro Geromel, Marcelo Oliveira e Bruno Cortez; Maicon, Matheus Henrique (Alisson), Ramiro, Jean Pyerre (Thaciano) e Everton; Jael (André)
Técnico: Renato Gaúcho

 

 

O Corinthians sofreu, na noite dessa quarta-feira, sua 13ª derrota como visitante nesse Campeonato Brasileiro. Dessa vez o Atlético-PR foi quem fez a festa em cima do alvinegro do Parque São Jorge, com um triunfo por 1 a 0 na Arena da Baixada, em Curitiba.

O resultado evita um alívio definitivo dos corintianos contra o risco de rebaixamento e complica a missão da equipe na luta por uma vaga na Copa Sul-Americana do ano que vem. Por outro lado, o Furacão segue firme no objetivo de ir à Libertadores de 2019.

Com 43 pontos, o Timão é o 12º, por enquanto, e novamente terá de secar seus adversários diretos para não reviver uma tensão pela proximidade da zona de rebaixamento. Os atleticanos, com 53 pontos, ocupam a sétima posição.

Pela primeira vez desde que assumiu o Corinthians, Jair Ventura repetiu uma escalação de um jogo para o outro. O resultado foi um time ligado, concentrado e bem postado na primeira etapa. Além disso, em dois momentos os paulistas tiveram oportunidade clara de abrir o placar, primeiro com Ralf e depois com Pedrinho, em linda triangulação do ataque.

O placar zerado, porém, manteve tudo muito equilibrado. E o Furacão acabou premiado pela manutenção do ritmo na etapa final. Diferente dos visitantes, os rubro-negros partiram para cima na etapa final.

O gol parecia questão de tempo, e não demorou. Os treinos exaustivos da véspera não funcionaram para os corintianos na batida de escanteio e Léo Pereira aproveitou que nenhum marcado resolveu saltar para mandar, de cabeça, para as redes.

Após isso, Cássio evitou um revés ainda pior. Jair Ventura, pressionado no cargo, ainda tentou algo com Clayson, Araos e Emerson Sheik. Em vão. O apito final confirmou a oitava derrota do treinador pelo clube.

Nas duas últimas rodadas do Brasileirão, o Corinthians encara Chapecoense (casa) e Grêmio (fora), enquanto o Atlético-PR pega Ceará (casa) e Flamengo (fora).

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 1 X 0 CORINTHIANS

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 21 de novembro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Cartões amarelos: Ralf, Danilo Avelar, Thiaguinho, Fagner (SCCP); Matheus Rosseto (CAP)

GOL:
Atlético-PR: Léo Pereira, aos 7 minutos do 2T

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira, Renan Lodi; Lucho (Matheus Rosseto), Wellington e Raphael Veiga; Rony (Marcelo Cirino), Nikão e Pablo.
Técnico: Tiago Nunes

CORINTHIANS: Cássio, Fágner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Thiaguinho (Araos); Pedrinho, Jadson e Mateus Vital (Clayson); Danilo (Emerson Sheik).
Técnico: Jair Ventura

 

Gazeta Esportiva

Na noite desta quarta-feira, o Internacional foi derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1 no Estádio Beira-Rio, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em dois tempos distintos, o Colorado não jogou bem no primeiro e viu o Galo pular a frente do placar. Mas na etapa final os vermelhos cresceram e chegaram ao empate, porém, nos acréscimos, os visitantes conseguiram o triunfo. Os gols foram marcados por Cazares e Terans para os mineiros, enquanto D’Alessandro fez para o Inter. Esse revés fez os gaúchos perderem a invencibilidade em seus domínios.

Com 65 pontos, o Internacional se mantém em terceiro lugar. E o Atlético-MG segue em sexto lugar com 56 pontos e praticamente garantiu presença na pré-Libertadores.

Na próxima rodada, o Internacional recebe no domingo o Fluminense, às 19h(de Brasília), no Beira-Rio. Já o Atlético-MG visita no sábado o Santos, às 20h(de Brasília), na Vila Belmiro.

O Jogo

A partida teve um começo muito estudado por parte das duas equipes. O Colorado avançou a marcação e tentou empurrar o Galo para o seu campo de defesa. Aos 16, Patrick recebeu uma boa bola pela esquerda, puxou para o meio e tentou bonita finalização, buscando o ângulo do gol de Victor. A bola subiu demais e saiu pela linha de fundo. Por sua vez, os mineiros encontraram dificuldades na transição ofensiva.

Mesmo que tenha mais posse de bola, o Internacional não conseguia realizar jogadas de infiltração e teve pouco poder de penetração na área. As tentativas dos visitantes ocorreram através de chutes de longe e bola aérea. A movimentação promovida no meio-campo entre Chará e Cazares começou a confundir a marcação dos donos da casa.

Após os 30 minutos, o Galo ficou mais com a bola e levou perigo a meta vermelha. Enquanto o Internacional não soube se impor e sequer chegou com qualidade ao ataque.

Mostrando um futebol mais objetivo, o Atlético-MG foi premiado e pulou na frente do placar. Aos 42, Adilson recuperou a bola na defesa e tocou para Chará. Ele viu o avanço de Cazares pela esquerda e deu o passe. O equatoriano carregou a bola e teve a opção de cruzar para Ricardo Oliveira, mas arriscou o chute e fez o gol. Quatro minutos depois, quase os mineiros ampliaram, Cazares avançou pelo meio e tocou para Luan, pela direita. Ele tentou a finalização, mas o chute saiu torto, direto pra fora.

Depois de um início de jogo com mais iniciativa, o Colorado sucumbiu e permitiu um crescimento de produção do Atlético-MG. Assim, os mineiros acabaram se impondo e no contra-ataque abriram o placar.

Sem alterações no segundo tempo, o Internacional buscou a reação. Aos 10, D’Alessandro arriscou chute direto, mas Victor fez a defesa segura. Um minuto após, D’Alessandro cobrou o escanteio, Emerson Santos subiu bem e conseguiu o desvio de cabeça. A bola passou muito perto do gol de Victor, mas saiu pela linha de fundo.

A equipe vermelha se mostrou mais incisivo no ataque e dava trabalho aos defensores do Galo. Aos 16, Camilo cobrou o escanteio, a bola foi desviada na primeira trave e parou em Patric, na segunda trave. O lateral do Galo praticamente dominou para Damião, que, embaixo da trave, chutou por cima.

Os mineiros recuaram as suas linhas e especularam uma jogada de velocidade. Já o Colorado foi com tudo na tentativa do empate. Em dois lances seguidos quase o Galo liquidou o jogo. Aos 30, Cazares viu Marcelo Lomba adiantado e tentou um golaço do meio-campo. A bola passou perto, mas saiu pela linha de fundo. Cazares viu Marcelo Lomba adiantado e tentou um golaço do meio-campo. A bola passou perto, mas saiu pela linha de fundo. Aos 31, Patric viu o avanço de Cazares, pelo meio. Ele dominou e finalizou. A bola passou muito perto da trave, mas saiu.

De tanto insistir, o Colorado finalmente chegou à igualdade. Aos 35, o Inter chegou muito bem pela esquerda, com Rossi. Ele passou por Emerson e cruzou para Damião. O centroavante armou o chute, mas foi empurrado por Maidana. Penalidade clara apitada pelo árbitro. Aos 37, D´Alessandro bateu bem, no canto direito de Victor, que caiu para o outro lado e nada pôde fazer.

Na sequência, o Inter perdeu um gol inacreditável. Aos 41, Camilo cruzou na área, Leonardo Silva cortou errado, e a bola ficou no jeito para Leandro Damião marcar. Ele chutou por cima. Valeu a velha máxima quem não fez leva. Aos 47, Cazares aproveitou mais um contra-ataque, avançou pela direita, levantou a cabeça e viu a movimentação de David Terans na área. O cruzamento foi perfeito, e Terans só desviou para marcar. Aos 49, Lucas Cândido dominou perto da área e chutou muito forte. A bola explodiu no travessão.

A etapa final foi eletrizante com o Internacional melhorando o seu rendimento e atingindo o empate, mas nos acréscimos acabou perdendo terreno e permitiu a derrota. O grande destaque ficou pela atuação de Cazares, que comandou o meio-campo do Galo.

Ficha Técnica
Internacional x Atlético-MG

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data:  21 de novembro de 2018, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Renda: R$510.090,00
Público Total: 25.067
Cartão amarelo: Victor Cuesta (Internacional)Adílson, Maidana (Atlético-MG)
Gols: Cazares (Atlético-MG), aos 42 minutos do primeiro tempo, D´Alessandro (Internacional), aos 37 minutos e Terans (Atlético-MG), aos 47 minutos do segundo tempo.

Internacional: Marcelo Lomba, Fabiano(Juan Alano), Emerson Santos, Victor Cuesta e Iago, Rodrigo Dourado, Edenílson, D´Alessandro e Patrick (Camilo), Nico López (Rossi) e Leandro Damião.Técnico: Odair Hellmann

Atlético-MG: Victor, Emerson, Leonardo Silva, Maidana, Patric, Adilson, Matheus Galdezani (Lucas Cândido), Cazares e Luan (Terans), Chará e Ricardo Oliveira (Alerrandro). Técnico: Levir Culpi

 

Gazeta Esportiva

O Palmeiras entrou em campo no Estádio do Café lotado de alviverdes em Londrina, neste domingo, como líder do Campeonato Brasileiro com cinco pontos de vantagem sobre o segundo colocado, e apesar da atuação ruim e empate decepcionante por 1 a 1 com o rebaixado Paraná, a situação se manteve. Agora, o principal perseguidor do Palestra é o Flamengo, que venceu o Sport. O Inter, após derrota para o Botafogo, está seis pontos atrás do líder restando três jogos para o final do Campeonato Brasileiro.

O decacampeonato brasileiro pode vir já na próxima rodada, no Allianz Parque, contra o América-MG, na quarta-feira. Para isso, o Palmeiras precisa vencer e torcer para que o Flamengo não ganhe do Grêmio no Maracanã e o Inter não bata o Atlético-MG no Beira-Rio.

O duelo deste domingo foi entre um rebaixado e uma equipe que luta para garantir o título brasileiro, mas o futebol dos dois times não retratou a situação no primeiro tempo. Atrapalhado pelo vento e a forte chuva, o Verdão fez péssimos 45 minutos.

Mesmo jogando literalmente contra a forte ventania, o Alviverde teve o domínio da etapa inicial, mas finalizou apenas duas veze. As três, Dudu quase acertou o ângulo, mas mandou para fora, e aos 19, Gustavo Scarpa parou na defesa de Thiago Rodrigues.

Com 69% de posso de bola, mas sem assustar o adversário, o Palmeiras foi punido. Com 34 jogados, Juninho arrancou pela esquerda, deixou Antônio Carlos para trás e cruzou rasteiro para a área. Kessley se jogou na bola, antecipando Diogo Barbosa, Weverton tocou nela, mas aceitou.

Antes do intervalo, Weverton apareceu de novo, dessa vez para impedir o gol em chute de longe de Wesley Dias. A melhor chance do Palestra veio com Rafael Grampola, que quase marcou contra no minuto final do primeiro tempo.

Palmeiras escapa de levar o segundo e consegue o empate

Para a etapa final, Felipão colocou Willian em campo e sacou Lucas Lima, deixando Scarpa como meia articulador centralizado. E disposto a pressionar ainda mais, o Palmeiras quase viu os mandantes ampliarem a vantagem logo aos dois minutos, mas Kessley, após driblar Dracena, demorou muito para finalizar e foi travado por Antônio Carlos.

O jogo ganhou em emoção e os alviverdes pediram pênalti em Dudu em lance polêmico. A arbitragem mandou seguir, mas um minuto depois anotou penalidade de Johnny, que dentro da área, parou chute de Willian com o braço. Na cobrança, Gustavo Scarpa bateu no meio do gol e empatou.

Após nova chegada do Paraná, que não desempatou por conta do capricho de Alesson, Felipão mexeu de novo: Bruno Henrique entrou no lugar de Scarpa, que estava bem no jogo, enquanto Moisés, fazendo uma péssima atuação, ficou responsável por armar o Verdão.

As alterações – Borja ainda entrou no lugar de Deyverson – mantiveram o Palestra no ataque, mas tiraram a criatividade do time. Dudu assustou em chute de longe, que Thiago Rodrigues defendeu, e Willian perdeu chance claríssima sozinho dentro da área.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio do Café, Londrina (PR)
Data: 18 de novembro de 2018, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Público:25.076 pagantes
Renda: R$ 1.953,570,00

Cartões amarelos: Johnny, Igor, René e Keslley (PARANÁ); Borja e Gustavo Scarpa (PALMEIRAS)

GOLS
PARANÁ: Kessley, aos 34 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Gustavo Scarpa, aos oito minutos da etapa final

Paraná: Thiago Rodrigues; Wesley Dias, Jesiel, René e Igor; Leandro Vilela e Johnny; Alesson (Jean Lucas), Keslley e Juninho (Torito González); Rafael Grampola (Felipe Augusto)
Técnico: Dado Cavalcanti

Palmeiras: Weverton; Mayke, Edu Dracena e Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Moisés e Lucas Lima (Willian); Gustavo Scarpa (Bruno Henrique), Dudu e Deyverson (Borja)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Santos e Botafogo empataram em 1 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Rodrygo e Brenner.

Durante a partida, Peixe e Fogo souberam do fim das chances matemáticas de classificação para a Libertadores da América em 2019. O Atlético-MG venceu o Internacional no Beira-Rio e não pode mais ser alcançado no G6.

Paulistas e cariocas agora precisam vencer um dos dois jogos finais do Brasileirão para sacramentar a presença na Sul-Americana da próxima temporada.

O Santos ainda enfrentará Atlético-MG (Vila Belmiro) e Sport (Ilha do Retiro). O Botafogo duelará contra Paraná e Atlético-MG.

O JOGO

Os primeiros minutos de Santos e Botafogo foram tão sem emoção quanto as arquibancadas vazias da Vila Belmiro.

O Fogão ficou com a posse de bola na primeira parte e assustou parcialmente o Peixe aos seis minutos, em chute travado de Moisés na área. Aos 15, Gabriel chutou e a bola tocou na zaga antes de ir para escanteio.

O torcedor só levantou aos 34′, quando Felippe Cardoso recebeu de Gabigol, fez fila e acertou o travessão. Segundos depois, saiu o gol santista.

Rodrygo quebrou jejum de três meses ao receber de Victor Ferraz na pequena área, ter o primeiro chute defendido por Gatito e aproveitar com oportunismo o rebote. Antes do intervalo, o Santos, já melhor postado, administrou o resultado parcial com tranquilidade.

PRESSÃO SURTE EFEITO

O Botafogo voltou melhor para o segundo tempo e quase empatou em seis minutos, em cabeceio de Erik na trave direita de Vanderlei. Aos 9, o Santos respondeu com finalização de fora da área de Alison.

Aos 14, a pressão dos visitantes surtiu efeito e o Peixe novamente sucumbiu pelo alto. Valencia cobrou falta na área, Diego Pituca vacilou na marcação e a bola sobrou para Brenner empatar. E três minutos depois, quase veio a virada. Moisés recebeu cruzamento no segundo pau e cabeceou forte para excelente defesa de Vladimir.

Quando o placar marcava 22, a arbitragem protagonizou uma lambança. Gabigol acertou o rosto de Valencia ao proteger a bola e Heber Roberto Lopes o expulsou. Na sequência, consultou o bandeirinha, anulou a marcação e aplicou cartão amarelo.

Com o empate no placar, Santos e Botafogo não tiveram forças e criaram pouquíssimas chances na Vila. Na melhor do Bota, Pimpão demorou para chutar quase na pequena área e foi travado por Copete aos 41. No minuto 44, Victor Ferraz finalizou para boa defesa de Gatito.

Na base do abafa, o Santos quase empatou no fim. Aos 46, Gabigol foi deslocado na área, mas Heber não deu pênalti. No minuto 47, a bola bateu na mão de Marcelo na área e a penalidade também não foi marcada. E no último lance, ainda deu tempo de Gustavo Henrique cabecear, a bola bater em Gatito e tocar na trave.

No fim das contas, ponto melancólico para ambos os times e ausência na Libertadores da América em 2019.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 BOTAFOGO

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 21 de novembro de 2018 (quarta-feira)
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro e Eder Alexandre (SC)
Público e renda: 3.620/R$ 64.715,50
Cartões amarelos: SANTOS: Gabriel e Luiz Felipe. BOTAFOGO: Marcinho.

GOLS
Santos: Rodrygo, aos 35 do 1T;
Botafogo: Brenner, aos 14 do 2T.

SANTOS: Vladimir, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Arthur Gomes (Copete), Alison, Diego Pituca e Rodrygo (Anderson Ceará); Gabigol e Felippe Cardoso (Eduardo Sasha)
Técnico: Cuca

BOTAFOGO: Gatito Fernandez, Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Léo Valencia (Renatinho) e Luiz Fernando; Erik (Rodrigo Pimpão) e Brenner (Kieza)
Técnico: Zé Ricardo

 

Gazeta Esportiva

Kieran Galvin/EFE/direitos reservados

Uma dor na virilha tirou o atacante Neymar da última partida do Brasil em 2018. O atacante saiu aos 7 minutos de jogo contra Camarões, na terça (20), um amistoso vencido por 1x0 pelos brasileiros no Estádio MK, na cidade de Milton Keynes, Sudeste da Inglaterra, a 70 quilômetros de Londres.

De acordo com o médico da seleção, Rodrigo Lasmar, o jogador sentiu um “incômodo” e, por isso, teve que ser substituído. A gravidade da lesão ainda será avaliada e somente então se saberá se ele terá condições de jogo pelo Paris Saint-Germain na próxima partida pelo campeonato francês.

O gol brasileiro contra Camarões foi marcado por Richarlison – justamente o substituto de Neymar – aos 44 minutos do primeiro tempo, de cabeça, aproveitando um escanteio batido por William. O técnico Tite aproveitou a partida para testar diversos reservas e escalou o time com Ederson, Danilo, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Arthur, Alan (Paulinho), Wallace (William), e Douglas Costa (Roberto Firmino); Gabriel Jesus e Neymar (Richarlison).

O jogo contra Camarões, que tem como técnico o holandês Clarence Seedorf, ex-atacante do Botafogo, foi o segundo dos dois amistosos disputados pela seleção brasileira nesta viagem à Inglaterra. No primeiro jogo, o Brasil venceu o Uruguai por 1x0, gol de Neymar.

Os amistosos fazem parte da preparação seleção para a Copa América, que será disputada de 14 de junho a 7 de julho de 2019 no Brasil.

 

Agencia Brasil

O Flamengo conquistou uma importante e dramática vitória na tarde desse domingo em cima do Sport Recife, na lotada Ilha do Retiro, em Pernambuco. Mesmo com a expulsão de Lucas Paquetá, os flamenguistas tiveram força para arrancar o placar de 1 a 0, graças a gol de Willian Arão.

O triunfo dos cariocas, aliado ao tropeço do Palmeiras, fez com que a diferença do rubro-negro para o líder caísse para cinco pontos (66 a 71) a três rodadas do fim do Campeonato Brasileiro. O Inter, que também não venceu nesse domingo, fica atrás do Flamengo na tabela, com um ponto a menos. Já o Sport não sai dos 38 pontos, um ponto a mais que o América-MG, primeiro membro da zona de rebaixamento.

Dorival Júnior apostou em Geuvânio no duelo contra o Leão e deu nova chance a Vitinho e Henrique Dourado. Everton Ribeiro perdeu a titularidade, mas, o que se viu no primeiro tempo foi apenas um perde e ganha tremendo. Os goleiros Cesar e Mailson pouco trabalharam até o intervalo.

Na etapa final, o panorama mudou com a expulsão de Lucas Paquetá ainda aos 15 minutos. O meia do Flamengo conseguiu levar dois cartões amarelos em lances seguidos e deixou sua equipe com um jogador a menos.

Dorival Júnior, então, mandou a campo Berrio e Everton Ribeiro. Gauvânio e Dourado foram sacados, e o inesperado aconteceu. Com um jogador a mais, o Sport não soube o que fazer e, aos poucos, foi levando susto atrás de susto. Berrío chegou a acertar a trave pouco antes da bola, enfim, entrar.

Vitinho cobrou escanteio e Willian Arão aproveitou saída ruim do goleiro Mailson para marcar o único gol do jogo, de cabeça.

Daí para frente foi só segurar o resultado até o apito final. Na próxima rodada, os cariocas recebem o Grêmio, quarta-feira, enquanto o Sport visita a Chapecoense, no dia seguinte.

FICHA TÉCNICA
SPORT 0 X 1 FLAMENGO

Local: Estádio Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 18 de novembro de 2018, domingo
Horário: 17h00 (Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Cartões amarelos: Cláudio Winck (SPO); Paquetá (2) (FLA)
Cartão vermelho: Paquetá (FLA)
Público: 26.005 pessoas.
Renda: R$ 283.760,00

GOL:
Flamengo: William Arão, aos 36 minutos do 2T

SPORT: Mailson; Cláudio Winck, Ronaldo Alves. Adryelson e Ernando; Marcão (Felipe Bastos), Jair, Gabriel, Mateus Gonçalves e Michel Bastos (Matheus Peixoto); Hernane (Marlone)
Técnico: Milton Mendes

FLAMENGO: Cesar; Léo Duarte, Rhodolfo, Réver e Renê; Cuéllar, Willian Arão, Lucas Paquetá, Geuvânio (Éverton Ribeiro) e Vitinho (Piris); Henrique Dourado (Berrío)
Técnico: Dorival Júnior

Mais Artigos...