Dourados-MS,
Câmara_audiência

Santos empatou em 0 a 0 com o Red Bull na noite desta terça-feira, no Estádio Moisés Lucarelli, e avançou à semifinal do Campeonato Paulista. Na ida, no Pacaembu, o Peixe havia vencido por 2 a 0.

O Alvinegro criou as melhores chances, mas esbarrou em grande noite do goleiro Júlio Cesar. A equipe de Jorge Sampaoli esteve sempre mais perto do gol e controlou a decisão.

O Santos foi ultrapassado pelo Palmeiras, que eliminou o Novorizontino com vitória, e agora tem a segunda melhor campanha do Paulistão. O Peixe enfrentará o terceiro melhor e saberá o adversário nesta quarta (Corinthians, São Paulo, Ituano ou Ferroviária). A semifinal terá início no fim de semana.

O JOGO

O Santos, com a vantagem do 2 a 0, administraria o resultado e privilegiaria a defesa no Moisés Lucarelli, certo? Errado! Era o Peixe quem parecia precisar desesperadamente de gols.

Logo no primeiro minuto, Jean Mota deu lindo lançamento para Eduardo Sasha sair cara a cara com Júlio César. O goleiro do Red Bull Brasil saiu bem para defender.

Aos 3, Sánchez cobrou falta perigosa. Aos 7, o uruguaio cruzou bem, mas Copete cabeceou fraco para Júlio encaixar. No minuto 9, Diego Pituca levantou e Jean Mota finalizou de peito, com estilo, só que fraco.

O Santos seguiu em cima e quase abriu o placar em gol olímpico de Jean Mota – Júlio César espalmou de novo. E o RB só chegou com perigo aos 26, em chute de Aderlan na rede pelo lado de fora.

O Peixe voltou a ficar perto do gol com Pituca, depois de cruzamento perfeito de Sánchez – o goleiro do Red Bull foi novamente preciso. No contra-ataque, Deivid recebeu sozinho, com gol aberto, e furou.

O Alvinegro ainda teve tempo de ver Sánchez desperdiçar bom passe de Jean Mota aos 41. Na sequência, o meia bateu de fora da área, para fora.

CONTROLE E VAGA NA SEMI

O ritmo caiu para o segundo tempo. Depois de muita disposição e pouco futebol, Rodrygo fez fila, caneta em Aderlan e caiu na área aos 10 minutos. A arbitragem acionou o VAR, mas não marcou pênalti.

Quando o placar marcava 17, Osman recebeu em profundidade, aproveitou erro de Felipe Jonatan e bateu forte, de canhota. A bola explodiu no travessão.

Aos 27 minutos, Jean Mota deu mais um ótimo lançamento. Rodrygo dominou e bateu forte, de perna esquerda, mas a bola passou perto da trave. No minuto 31, Felipe Jonatan deixou Aguilar sozinho na área. O zagueiro bateu forte e Júlio César fez mais uma grande defesa.

Nos minutos finais, o Santos tentou, mas não penetrou a defesa do RB. E os donos da casa, sem reação, se despediram da competição.

FICHA TÉCNICA
Red Bull Brasil 0 X 0 Santos

Data: 26 de março de 2019 (terça-feira)
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Horário: 20h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Daniel Luis Marques
Público e renda: 9296/R$ 395.430,00
Cartões amarelos: RED BULL: Jobson, Osman, Ytalo e Ligger. SANTOS: Eduardo Sasha

 

RED BULL: Júlio César, Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca (Pio); Jobson (Everton), Uillian Correia e Ytalo; Osman, Deivid e Roberson (Bruno Tubarão)
Técnico: Antônio Carlos Zago

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique (Luiz Felipe) e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Jean Mota; Carlos Sánchez, Copete (Rodrygo) e Eduardo Sasha (Kaio Jorge)
Técnico: Jorge Sampaoli

Depois de decepcionar ao empatar com o Panamá, no último sábado, a Seleção Brasileira espera ter um desempenho melhor na partida amistosa desta terça-feira, às 16h45 (de Brasília) diante da República Tcheca, na Eden Arena, em Praga. As duas equipes não se enfrentam há 21 anos e se depender do retrospecto, o Brasil tem grandes chances de alcançar a reabilitação.

Segundo dados da CBF, já aconteceram 17 jogos entre Brasil e Tchecoslováquia, país que deixou de existir em 1992 e foi dividido entre República Tcheca e Eslováquia. No confronto, a Seleção Brasileira conquistou nove vitórias, seis empates e duas derrotas, marcando 27 gols e sofrendo 14. Na última partida, válida pela Copa das Confederações, o Brasil venceu por 2 a 0, em jogo disputado na Arábia Saudita.

Para tentar melhorar o rendimento da equipe da CBF, o técnico Tite deve fazer, pelo menos, seis alterações em relação ao time que empatou com o Panamá.

O treinador garantiu que as mudanças que fará na equipe nada tem a ver com o empate no jogo diante dos panamenhos. Segundo Tite, as alterações já estavam previstas porque ele pretende usar os amistosos para observar os convocados, já pensando na disputa da Copa América. A defesa inteira foi alterada, inclusive com a entrada do goleiro Alisson no lugar de Ederson. Na zaga, a nova dupla será Marquinhos e Thiago Silva, companheiros de Paris Saint-Germain, nos lugares de Miranda e Éder Militão. Nas laterais, Fagner e Alex Telles ficarão no banco, com Danilo e Alex Sandro no time principal.

Outra modificação em relação ao time que empatou no último jogo é a entrada do volante Allan no lugar de Arthur. Casemiro segue como capitão da equipe por determinação da comissão técnica.

No setor de ataque, o treinador da Seleção Brasileira decidiu pela manutenção de Lucas Paquetá e Richarlison, muito elogiados pelo desempenho diante dos panamenhos. Tite chegou a testar Everton, do Grêmio, na vaga de Richarlison, mas acabou optando pelo atacante revelado pelo América-MG e que se destacou no Fluminense.

A República Tcheca não atravessa boa fase. O time perdeu três das últimas cinco partidas, e o último resultado foi desastroso. Na estreia nas Eliminatórias da Eurocopa 2020, os tchecos foram goleados pela Inglaterra por 5 a 0, o que fez aumentar as críticas ao trabalho do técnico Jaroslav Šilhavý. Ele ainda não divulgou a equipe que vai enfrentar o Brasil, mas deixou a entender que vai repetir a escalação do último jogo, por entender que a equipe é a mais competitiva que pode escalar no atual momento.

FICHA TÉCNICA
REPÚBLICA TCHECA x BRASIL

Local: Eden Arena, em Praga (República Tcheca)
Data: Terça-feira, 26/03/2019
Horário: 16h45 (de Brasília)
Arbitragem: Não divulgado

 

REPÚBLICA TCHECA: Pavlenka; Kaderabek, Celustka, Kalas e F. Novak; Soucelk, Pavelka, Sellasie, Darida e Jankto; Schick
Técnico: Jaroslav Šilhavý

BRASIL: Alisson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro; Allan, Coutinho, Paquetá e Richarlison; Firmino
Técnico: Tite

Flamengo assegurou a classificação para as semifinais da Taça Rio ao derrotar o Fluminense por  3 a 2, em partida disputada na tarde deste domingo, no Maracanã. A vitória fez o Rubro-negro da Gávea chegar aos 14 pontos ganhos e garantir a segunda colocação no Grupo C, um ponto a menos do que o líder Bangu. O Fluminense que já estava garantido na próxima fase da competição, segue na liderança do Grupo B com 11 pontos ganhos. Os gols foram marcados por Bruno Henrique, dois, e Gabigol para o Flamengo, enquanto Dodi e João Pedro anotaram para o Tricolor das Laranjeiras.

O time dirigido por Abel Braga começou a partida como um rolo compressor e chegou a abrir 3 a 0 e dar a impressão de que iria golear o tradicional adversário, mas o Fluminense, escalado com uma equipe alternativa, mostrou muita bravura e quase complicou a vitória do Flamengo. Nas semifinais,  Flamengo e Fluminense voltarão a se enfrentar.

O jogo – Como era de esperar pelas circunstâncias do clássico, o Flamengo partiu para o ataque, assim que a bola rolou. Aos três minutos, Pará recebeu pela direita e cruzou para a entrada de Gabigol, mas o artilheiro chegou atrasado e não conseguiu tocar na bola. Dois minutos depois, Bruno Henrique dividiram a bola na área tricolor e a bola saiu muito perto da trave, dando grande susto no goleiro Agenor.

Mostrando desentrosamento, o Fluminense não conseguia segurar a bola e o Flamengo logo recuperava a posse armava novos ataques. Aos 13 minutos, a persistência da equipe rubro-negra foi premiada com o primeiro gol. Pará cruzou rasteiro e Bruno Henrique se antecipou à marcação para tocar com o pé esquerdo e colocas nas redes tricolores.

Mesmo depois de abrir vantagem, o Flamengo não reduziu a pressão e seguiu martelando a defesa tricolor em busca do segundo gol. Aos 19 minutos, Renê cruzou e o lateral Pará apareceu na área para cabecear, mas Agenor fez grande defesa.

O Fluminense apareceu, pela primeira vez, com perigo, aos 23 minutos. Igor Julião cruzou e Marquinhos Calazans completou de primeira, mas a bola explodiu no travessão. No rebote, Willian Arão que havia falhado no início da jogada, se redime ao impedir a conclusão de Mateus Gonçalves.

O time dirigido por Fernando Diniz conseguiu equilibrar o jogo, mas errava muito na hora de tentar definir as jogadas nas proximidades da área rubro-negra. Já o Flamengo não conseguia mostrar o futebol dos primeiros minutos e se mostrava mais preocupado em bloquear as jogadas ofensivas do adversário.

Aos 41 minutos, o Flamengo quase marcou o segundo gol. Após cruzamento de Éverton Ribeiro, Bruno Henrique desviou e Diego, de bicicleta, mandou para o gol, mas Agenor fez grande defesa.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com o meia Dodi na vaga de Mateus Gonçalves. Aos três minutos, Allan arriscou, de fora da área, e a bola encobriu o travessão de Diego Alves, com muito perigo. Aos cinco minutos, o Flamengo ampliou a vantagem, novamente com Bruno Henrique que recebeu bom passe de Diego e tocou na saída de Agenor.

O Fluminense desanimou e o Flamengo chegou ao terceiro gol aos 12 minutos. Allan errou na saída de bola e Bruno Henrique se aproveitou para lançar Gabigol que penetrou na área e tirou do alcance do goleiro Agenor. O Fluminense não desanimou e marcou o primeiro gol aos 18 minutos. Calazans fez boa jogada pela esquerda e cruzou para a entrada de Dodi que tirou do alcance do goleiro Diego Alves.

Aos 26 minutos, o Fluminense marcou o segundo gol. Igor Julião cruzou na área e João Pedro cabeceou para as redes de Diego Alves.

Para tornar o time mais agressivo, o técnico Fernando Diniz trocou o lateral-direito Igor Julião pelo atacante Pablo Dyego, mas o Flamengo passou a marcar com mais intensidade e acabou garantindo a importante vitória. Antes do apito final, Pablo Dyego recebeu cartão vermelho por atingir o zagueiro Léo Duarte.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 2 FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 24 de março de 2019, domingo
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruda
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima e Diogo Carvalho Silva
Cartão Amarelo: Renê, Diego (Fla); Nino, Danielzinho, Igor Julião, Allan, Marquinhos Calazans e Marlon (Flu)
Cartão Vermelho: Pablo Dyego (Flu)
Gols:
FLAMENGO: Bruno Henrique, aos 13 minutos do primeiro tempo e aos cinco minutos do segundo tempo; Gabigol aos 12 minutos do segundo tempo
FLUMINENSE: Dodi, aos 18 minutos e João Pedro 26 minutos do segundo tempo

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Ronaldo, Willian Arão, Diego (Lucas Silva) e Éverton Ribeiro; Bruno Henrique (Vitor Gabriel)e Gabigol (Uribe)
Técnico: Abel Braga

 

FLUMINENSE: Agenor; Igor Julião (Pablo Dyego), Léo Santos, Nino e Marlon; Allan (João Pedro), Marquinhos Calazans, Mateus Gonçalves (Dodi) e Paulo Henrique Ganso; Caio Henrique e Danielzinho
Técnico: Fernando Diniz

As quartas de final do Campeonato Sul-mato-grossense de Futebol começarão neste sábado (23), no estádio Noroeste, em Aquidauana. Após perder seis pontos por conta de irregularidades com o atleta Alex Farias, o Aquidauanense caiu da sexta para a oitava colocação e encara o Operário de Campo Grande. 

O compromisso está agendado para as 15 horas, conforme tabela divulgada na tarde da última quinta (21) pela FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul).

Amanhã, outras três partidas finalizam os confrontos de ida. Serc e Águia Negra em Chapadão do Sul e Corumbaense e Comercial no Arthur Marinho, em Corumbá, duelam às 15 horas.

Uma hora mais tarde o Costa Rica recebe o Sete de Setembro de Dourados, no estádio Laertão. 

Volta

Os jogos de volta também já foram marcados pela Federação e acontecem entre os dias 30 e 31 de março. No jogo isolado de sábado (30), o Operário recebe o Aquidauanense às 15 horas, no estádio Morenão. 

Sem o Douradão para jogar, o Sete mandará mais uma vez o seu compromisso em Itaporã. No domingo os douradenses recebem o Costa Rica às 15 horas, mesmo horário de Comercial e Corumbaense no Morenão, em Campo Grande. 

Às 17 horas, Águia Negra e Chapadão se enfrentam no Ninho da Águia, em Rio Brilhante. 

Por ter a melhor campanha na primeira fase, Operário, Águia Negra, Sete de Setembro e Comercial, jogam por resultados iguais. 

Sete abriu vantagem no primeiro tempo e suportou pressão do adversário no segundo (Foto: Grande FM

O Sete de Dourados ficou muito perto de estar na semifinal do Campeonato Estadual pela quarta temporada seguida. Neste domingo (24), fora de casa, o Furacão venceu o Costa Rica por 2 a 0 e agora pode perder a partida de volta pela mesma diferença de dois gols que, mesmo assim, fica entre os quatro melhores. Os gols foram marcados por Ribeiro e Sena, mas o atacante Regis Wenzel foi fundamental, fazendo as jogadas e dando assistência para os gols douradenses. Os dois times voltam a se enfrentar no domingo, às 15h, no Estádio Chavinha, em Itaporã.

Aos nove minutos, o Sete conseguiu abrir o placar no Estádio Laertão. A jogada foi feita pela esquerda por Regis Wenzel. O atacante saiu da área, recebeu a bola em cobrança de lateral, se livrou de dois marcadores e bateu cruzado. A zaga afastou mal e Ribeiro aproveitou a sobra para colocar o time douradense na frente. Aos 24 minutos, veio o segundo. Otacílio Neto lança Regis Wenzel e o atacante, de cabeça, deixa Sena livre para bater na saída do goleiro e ampliar a vantagem.

Na volta do intervalo o time da casa foi melhor e pressionou em busca do gol, aproveitando, principalmente, a melhor condição física. Sem conseguir encaixar a marcação, o Sete viu o ataque do Costa Rica rondar a área durante os primeiros 20 minutos. Depois, mesmo sem ameaçar o adversário, o time douradense conseguiu, pelo menos, reorganizar o sistema defensivo, mantendo a bola sem levar perigo ao goleiro Roger Paranhos. Aos 32 veio a chance do terceiro gol em passe do Otacílio Neto para Sena, mas o meia, ao tirar do goleiro Henrique, mandou a bola para fora. Sem marcar o gol que poderia virtualmente colocar o time na semifinal, os douradenses voltaram a se defender e segurar a vantagem por 2 a 0.

A vitória, além de deixar a classificação próxima, coloca o Sete mais perto das melhores campanhas da competição, já que os pontos seguem sendo computados para efeito de desempate nas fases seguintes. Derrotados na rodada de ida, o Operário FC segue com 24 pontos e o Águia Negra com 23. O Sete agora também tem 23, mas segue em desvantagem em relação aos saldo de gols.

Outros jogos

A rodada de ida das quartas de final começou no sábado, com a vitória do Aquidauanense sobre o Operário FC por 1 a 0, gol de Agnaldo cobrando pênalti aos 38 minutos do primeiro tempo. Na volta, próximo sábado, no Estádio Morenão, o Azulão joga pelo empate e o Galo precisa vencer o jogo para avançar. Ontem, em Chapadão do Sul, a Serc reverteu a vantagem do Águia Negra ao vencer por 1 a 0, gol de Billy logo no segundo minuto de jogo. A volta acontece no domingo, em Rio Brilhante, e o Águia precisa vencer para seguir no campeonato. No Estádio Arthur Marinho, de virada, o Corumbaense venceu o Comercial por 2 a 1. André Bahia colocou o Colorado na frente aos seis minutos da etapa inicial e, aos oito, Romarinho igualou. Nos acréscimos do segundo tempo, Bruno Santos fez o segundo gol do Carijó, fechando o placar. Na volta, em Campo Grande, um empate coloca o Corumbaense na semifinal.

 

Gazeta MS

O São Paulo se aproximou das semifinais do Campeonato Paulista neste domingo. Recebendo o Ituano em seu retorno ao estádio do Morumbi, a equipe comandada pelo técnico interino Vagner Mancini surpreendeu, mostrando um futebol bem acima do desempenho dos últimos jogos, e saiu de campo com a importantíssima vitória por 2 a 1, graças aos gols do jovem Igor Gomes. Morato, fazendo prevalecer a “lei do ex”, descontou para o Galo.

Havia três jogos que o São Paulo não conquistava uma vitória. Neste domingo, entretanto, Mancini contou com o retorno de Liziero, que formou boa dupla no meio-campo com Luan e juntos deram mais qualidade na transição da defesa para o ataque. Igor Gomes, por sua vez, novamente fez o papel de armador, substituindo Hernanes, e mostrou que pode ser muito útil ao Tricolor no mata-mata do Estadual.

Agora, o São Paulo terá a missão de não deixar o Ituano reverter a vantagem construída no Morumbi. As equipes voltam a se encontrar na próxima quarta-feira, no estádio Novelli Júnior, em Itu, às 19h15 (de Brasília).

O jogo – Apesar de o São Paulo ter dominado o primeiro tempo, foi o Ituano quem chegou com perigo pela primeira vez na partida. Logo aos quatro minutos, em cobrança de escanteio fechada, Tiago Volpi mostrou que estava ligado e afastou a bola que ia entrando no gol. Já aos 13 minutos o Tricolor respondeu com Liziero, que fez a ultrapassagem, recebeu de Everton Felipe e cruzou rasteiro para Pablo, mas viu seu passe ser interceptado na hora “h” pela defesa adversária.

Tentando jogar por uma bola, o Ituano de vez em quando se jogava para o ataque. Aos 16 minutos, Martinelli recebeu em velocidade, invadiu a área, mas se chocou com Hudson. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira, porém, mandou o lance seguir. Logo na sequência, o São Paulo decidiu experimentar de fora da área com Liziero, que mandou por cima do gol.

O dinâmico confronto seguiu agitado, e Morato por pouco não bota água no chopp dos são-paulinos. Aos 19 minutos, o camisa 10 do Ituano recebeu lindo passe de trivela de Martinelli, cortou para o meio e bateu firme, mandando à esquerda do gol tricolor. Os donos da casa, por sua vez, se apoiaram em Pablo para tentar abrir o placar. O camisa 12 ajeitou duas bolas para Liziero e Igor Gomes chegarem batendo dentro da área, mas ambos não acertaram a pontaria.

Apesar de pecar nos arremates, o São Paulo, de tanto insistir, foi premiado com o gol aos 33 minutos de jogo. Everton Felipe fez boa trama pela esquerda e tocou para Reinaldo, que cruzou na medida para Igor Gomes, no meio da área, concluir com um belo chute no ar, abrindo o marcador no Morumbi. Não satisfeito com a vantagem o Tricolor ainda teve uma chance de ouro para ir para o intervalo com 2 a 0, mas Everton Felipe, que saiu cara a cara com o goleiro após tabelar com o autor do primeiro gol, não finalizou bem.

Segundo tempo

No segundo tempo o São Paulo seguiu comandando as ações ofensivas. Apesar disso, a exemplo da etapa inicial, foi o Ituano quem assustou primeiro com Morato, que aos quatro minutos recebeu na direita, cortou para o meio e soltou uma bomba no ângulo de Tiago Volpi, que se esticou e fez a defesa. Já aos 14 minutos foi a vez de o Tricolor responder com Reinaldo, que recebeu de Everton Felipe na entrada da área, se livrou da marcação e finalizou certeiro, mas o goleiro Pegorari fez a intervenção.

Se não deu para Reinaldo, melhor para Igor Gomes. No minuto seguinte, Antony estava ligado e roubou a bola já no campo de ataque após passe ruim da defesa do Ituano e abriu para Everton Felipe na esquerda, que bateu cruzado, de primeira. No rebote, Igor Gomes precisou apenas completar para o fundo das redes e sair para o abraço. Foi o segundo gol do garoto como profissional.

Bastante confortável na partida, o Tricolor seguiu pressionando o adversário e esbarrou na trave duas vezes em busca do terceiro gol. Primeiro, aos 18 minutos, foi a vez de Hudson, que arriscou de fora da área e carimbou o travessão. Depois, aos 26, Reinaldo chegou batendo na entrada da área e viu Pegorari chegar a tocar na bola antes de ela bater no poste esquerdo da meta defendida pelo goleiro rubro-negro.

Sem sorte para fazer o terceiro gol e ficar em uma posição ainda mais cômoda, o São Paulo acabou punido aos 37 minutos. Depois de Tiago Volpi fazer defesa espetacular com o pé direito em chute de Bassani, o Ituano descontou com Morato, que cabeceou dentro da pequena área, sozinho, a cobrança de escanteio vindo da esquerda para fazer prevalecer a “lei do ex” e manter o time do interior vivo na disputa por uma vaga nas semifinais do Paulistão.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 ITUANO

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de março de 2018, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio de Rocha Filho
Assistentes: Marcelo Van Gasse e Risser Corrêa
Público: 18.573 pessoas
Renda: R$ 249.480,70

Gols: Igor Gomes, aos 33 minutos do 1ºT e aos 15 minutos do 2ºT (São Paulo)
Cartões amarelos: Bassani e Motaro (Ituano); Antony (São Paulo)

 

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Liziero (Léo) e Igor Gomes (Everton); Antony, Pablo e Everton Felipe (Brenner)
Técnico: Vagner Mancini

ITUANO: Pegorari; Jonas, Léo, Baralhas e Peri; Serrato (Bassani), Corrêa (Paulinho Dias), Ramon (Gui Mendes) e Morato; Martinelli e Ricardo Silva
Técnico: Vinicius Bergantin

O TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) puniu na quarta, dia 20 de março, a equipe do Aquidauanense com a perda de seis pontos e mais R$ 100, de multa por relacionar o atleta Alex Farias, que estava fora do BID no jogo contra o Operário de Dourados.

Com isso o Aquidauanense caiu da sexta colocação com 18 pontos para o oitavo lugar com 12 pontos.
Desta forma ficou assim definidos os confrontos das quartas de final do Campeonato de Futebol, de Mato Grosso do Sul:

Operário x Aquidauanense

Águia Negra x Serc

Sete Setembro x Costa Rica

Comercial x Corumbaense

Na manhã de hoje (21), às 10 horas, na sede da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), haverá uma reunião com a participação de todas as equipes classificadas para a definição das datas e horários dos confrontos das quartas de finais da competição. 

O TJD informará a decisão ao Departamento de Competições da Federação que divulgará tabela atualizada após reunião com os presidentes de clubes.

Mais Artigos...