Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

Foto - Divulgação

Em um confronto direto por uma vaga na Copa Libertadores, Santos e Fluminense se enfrentam neste sábado, às 16h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, em Santos, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe, que vem de empate por 2 a 2 com o Internacional no Rio Grande do Sul, é o sétimo colocado com 43 pontos, três a menos que o Atlético-MG, que fecha a zona de classificação para o torneio continental. Já o Tricolor, que derrotou o próprio Galo por 1 a 0 no domingo passado, tem quarenta pontos, porém, teve um baque no meio de semana, ao não conseguir mais do que no 1 a 1 com o Nacional do Uruguai, em casa, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Como a volta será na próxima semana, os cariocas usarão um time alternativo.

Cuca, técnico do Santos, falou sobre o jogo de seis pontos na Vila.

 

“Agora nós vamos ter uma decisão por rodada na nossa luta para conquistarmos a vaga na Copa Libertadores. A primeira delas será contra o Fluminense e precisamos ganhar, ainda mais em nossa casa”, disse o treinador.

“Temos condições de fazer uma grande reta final de Campeonato Brasileiro e conquistarmos a vaga na Copa Libertadores, que estamos conseguindo disputar nas últimas temporadas. Precisamos fazer nossos melhores oito jogos da carreira. A nossa primeira decisão será contra o Fluminense e é um jogo que temos que dar o nosso melhor. Temos que fazer o jogo perfeito”, afirmou o goleiro Vanderlei.

O Fluminense também sonha com a Libertadores, mas por conta da Copa Sul-Americana, colocou o jogo em segundo plano. O técnico Marcelo Oliveira, porém, se mostra otimista com a possibilidade de somar pontos mesmo com reservas.

“Infelizmente não é o ideal, mas é aquilo que o calendário acaba impondo. Jogamos uma partida muito desgastante na quarta, depois temos um jogo fora de casa no sábado e em seguida uma viagem desgastante para o Uruguai para uma decisão. Não resta outra alternativa”, explicou Marcelo.

Em termos de escalação, o Santos perdeu a sua zaga considerada titular, composta por Luiz Felipe e Gustavo Henrique, que foram advertidos com o terceiro cartão amarelo contra o Internacional. Assim, Lucas Veríssimo e Robson Bambu vão compor o setor.

O Fluminense dará oportunidade a atletas que não estão atuando como o zagueiro Frazan, o volante Aírton, o meia Daniel e o atacante Junior Dutra. O zagueiro Gum, que sofreu um trauma no joelho direito no meio de semana, já não jogaria.

No primeiro turno do Campeonato Brasileiro, as duas equipes se enfrentaram no Maracanã, no Rio de Janeiro, e naquela ocasião o Santos ganhou por 1 a 0. Bruno Henrique fez o único gol do duelo.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X FLUMINENSE

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 27 de outubro de 2018 (Sábado)
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Eder Alexandre (SC)

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Robson Bambu e Dodô; Alison, Carlos Sánchez e Diego Pituca; Rodrygo, Gabigol e Bruno Henrique
Técnico: Cuca

FLUMINENSE: Júlio César, Igor Julião, Frazan, Paulo Ricardo e Marlon; Aírton, Dodi, Daniel e Marcos Júnior; Bryan Cabezas e Júnior Dutra
Técnico: Marcelo Oliveira

 

Gazeta Esportiva

Vasco e Internacional empataram por 1 a 1 em partida disputada na noite desta sexta-feira, em São Januário. O resultado não foi bom para nenhuma das equipes. A equipe Cruz-Maltina chegou aos 35 pontos e ocupa a 13ª posição, mas pode cair na tabela de classificação ao final da rodada. O Inter é o terceiro colocado com 58 pontos.

Os gols foram marcados por Jonatan Alvez para o Inter e Maxi López, de pênalti, para o Vasco, já nos acréscimos. A marcação da penalidade gerou grande revolta entre jogadores e comissão técnica do time gaúcho. O trio de arbitragem foi cercado e ouviu muita reclamação.

O jogo foi muito truncado no primeiro tempo e melhorou bastante no segundo tempo, quando as duas equipes adotaram comportamento mais ofensivo e passaram a procurar a vitória. O Vasco voltou a mostrar dificuldades para fazer a bola chegar a Maxi López, enquanto o time colorado sentiu muito a falta de Leandro Damião no comando do ataque.

 

Na próxima rodada, o Vasco vai enfrentar o Fluminense, no Maracanã. O Internacional vai receber o Atlético-PR, no Beira Rio.

O Jogo – A necessidade de vitória fez com que as duas equipes assumissem posturas ofensivas desde os primeiros minutos da partida. Com Nico López caindo pelos lados do campo, o time visitante criava mais dificuldades para a defesa cruz-maltina. No Vasco, Maxi López ficava isolado na frente e pouco participava do jogo.

Só aos 11 minutos é que a torcida teve motivos para se agitar. Após cobrança de falta por Yago Pikachu, Fabricio escorou e Castán dividiu com Victor Cuesta pelo alto e o zagueiro do Vasco reclamou de uma cotovelada, mas o árbitro nada marcou.

Os dois times marcavam forte e o jogo ficou muito truncado pelo excesso de faltas. As duas equipes encontravam grande dificuldade para chegar na área, principalmente porque atuavam com poucos jogadores na zona de ataque.

Aos 22 minutos, Pikachu lançou na área, o goleiro Marcelo Lomba desviou de soco. Willian Maranhão cabeceou no rebote e o goleiro colorado voltou a defender. O Inter respondeu com um cruzamento na pequena área e Martín Silva saiu com precisão para afastar o perigo da sua área.

O Vasco intensificou a pressão e Marcelo Lomba evitou o gol da equipe carioca ao fazer grande defesa após chute de Willian Maranhão, após novo cruzamento de Yago Pikachu.

Aos 28 minutos, em outro lançamento de Pikachu, o mais eficiente da equipe, a bola sobrou para Marrony que errou na conclusão e mandou a bola muito longe do gol defendido por Lomba. O Inter sentia a falta de Leandro Damião na área porque Nico López e Rossi preferiam ocupar as laterais na hora de atacar.

Aos 35 minutos, o zagueiro Rodrigo Moledo perde a bola na intermediária e Cuesta é obrigado a derrubar Pikachu na entrada da área. Falta que Fabrício cobra no canto e obriga Marcelo Lomba a se empenhar para evitar que a bola entre no seu canto direito. Aos 40 minutos, Fabricio ganha a dividida com Moledo e ganha espaço para o chute, mas a conclusão sai torta e longe do gol gaúcho.

Aos 45 minutos, Martín Silva acionou Fabrício que partiu para o ataque, mas acabou derrubado por Rodrigo Moledo antes de chegar na área. Pikachu bateu colocado e a bola tirou tinta da trave esquerda de Marcelo Lomba.

O segundo tempo começou com o Vasco no ataque e, logo aos dois minutos, Pikachu recebeu a bola na área e mandou a bomba, mas Marcelo Lomba fez grande defesa e evitou o primeiro gol da equipe carioca. A pressão carioca continuou e , aos cinco minutos, o polivalente Pikachu recebeu bom passe de Andrey, mas mandou para fora.

O time gaúcho só chegou na área cruz-maltina aos nove minutos. Após cruzamento na área, Patrick desviou de cabeça e mandou para fora. O Inter se animou e dois minutos depois, Edenilson arriscou, da entrada da área, e Martín Silva espalmou para escanteio.

A partida ficou mais aberta e, aos 15 minutos, foi a vez de Maxi López receber na área, evitar a marcação e bater com perigo, mas a bola saiu. O técnico decidiu trocar Fabrício por Thiago Galhardo, mas Fabricio ficou inconformado com a substituição. Ele saiu fazendo gestos de desagrado e entrou direto nos vestiários, debaixo de muitas vaias da torcida vascaína.

Jonatan Alvez entrou no lugar de Rossi e, na primeira jogada na área carioca, dividiu com Andrey e caiu, mas o árbitro não atendeu aos pedidos de pênalti e mandou o jogo seguir. Logo depois foi a vez de Edenilson receber na área e chutar, mas a bola bateu em Castán e saiu para escanteio.

Os dois times procuravam o gol, mas encontravam dificuldades para criar condições claras de gol. Aos 32 minutos, em falta ao lado da área, Nico López tentou o chute direto e mandou para fora, irritando seus companheiros que estavam esperando a bola na área.

Aos 39 minutos, o Internacional marcou. Wellington Silva invadiu pela esquerda e bateu. Martín Silva fez defesa parcial e Jonatan Alvez apareceu, livre, para colocar a bola nas redes. O Vasco partiu para o tudo ou nada e, aos 44 minutos, Kelvin invadiu a área e foi derrubado por Cuesta. O árbitro marcou pênalti, bastante contestado pelos gaúchos, Dois minutos depois, Maxi López bateu com categoria e empatou a partida.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 x 1 INTERNACIONAL

Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 26 de Outubro (Sexta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Público: 8301 pagantes
Árbitro: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG) e Ricardo Junio de Souza (MG)
Cartão Amarelo: Willian Maranhão, Thiago Galhardo, Maxi López (Vas);D´Alessandro, Rodrigo Moledo, Edenilson, Rodrigo Dourado, Jonatan Alvez (Int)
Gols:
VASCO: Maxi López, aos 46 minutos do segundo tempo
INTER: Jonatan Alvez, aos 39 minutos do segundo tempo

VASCO: Martín Silva, Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castán e Ramon; Andrey, Willian Maranhão (Raul), Yago Pikachu e Fabrício (Thiago Galhardo); Marrony (Kelvin) e Maxi López.
Técnico: Alberto Valentim

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, D’Alessandro (Wellington Silva) e Patrick; Rossi (Jonatan Alvez) e Nico López.
Técnico: Odair Hellmann

 

Gazeta Esportiva

Foto - Divulgação

Lutando para se distanciar do Z4, o Vasco recebe o Internacional nesta sexta-feira, às 21h30 (de Brasíli

Para dar mais ânimo aos atletas, a diretoria vascaína pagou nessa semana os salários dos jogadores e funcionários referente ao mês de setembro. Dentro de campo, o técnico Alberto Valentim tem a esperança de contar com Yago Pikachu, que levou uma pancada na cabeça na derrota para o Sport. Caso não venha sentir mais nenhuma dor, deve atuar. 

Desábato e Bruno Ritter estão recuperados de dores e assim devem ir para o jogo de amanhã. Após cumprirem suspensão, o zagueiro Luiz Gustavo e o volante Andrey podem retornar ao time titular. Segundo o comandante da Colina, o time precisa ter uma postura agressiva diante dos gaúchos.

“Queremos nos afastar do grupo de baixo, mas tem que ser com organização. Estamos falando de um adversário que luta pelo título. Temos que adotar uma postura de time grande, vamos jogar em casa”, comentou Valentim.

Enquanto isso, o Internacional precisar derrotar o Vasco para ainda seguir com chances de brigar pelo título. O Colorado ocupa o terceiro lugar, com 57 pontos e quer diminuir a distância para o líder Palmeiras.

Destaque nos dois últimos jogos ao marcar três gols, o centroavante Leandro Damião, com desconforto muscular na coxa esquerda, fica de fora do compromisso. Na sua vaga entra o atacante Rossi e Nico López será adiantado para o comando do ataque.

O restante o time será o mesmo que empatou na segunda-feira no Beira-Rio com o Santos. Lesionados, o meia Camilo e o atacante William Pottker também não viajaram com a delegação. A novidade entre os atletas que foram para o Rio é o meia argentino Sarrafiore, que fica no banco de reservas.

No primeiro turno, os gaúchos venceram os cariocas por 3 a 1 em Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA
VASCO X INTERNACIONAL

Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 26 de Outubro (Sexta-feira)
Horário: 21h30(de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG) e Ricardo Junio de Souza (MG)

Vasco: Fernando Miguel, Rafael Galhardo, Werley, Leandro Castán e Ramon; Leandro Desábato, Bruno Ritter, Willian Maranhão, Yago Pikachu e Fabrício; Maxi López.
Técnico: Alberto Valentim 

Internacional: Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, D´Alessandro e Patrick; Rossi e Nico López.
Técnico: Odair Hellmann

O Boca Juniors está próximo da final da Copa Libertadores da América. Nesta quarta-feira, Palmeiras e os argentinos fizeram uma partida morna e ruim tecnicamente, mas com apenas 15 minutos finais para jogar, o centroavante Benedetto deixou o banco de reservas e marcou duas vezes para os xeneizes contra o Verdão, decretando a vitória na Bombonera.

O jogo de volta da semifinal é na próxima quarta-feira, dia 31, às 21h45 (de Brasília). O Palmeiras terá de vencer por três gols de diferença para se classificar (um 2 a 0 a favor leva a decisão para os pênaltis). Empate ou vitória alviverde por um gol classificam o Boca Juniors – para enfrentar Grêmio ou River Plate na finalíssima (o Grêmio venceu o jogo de ida, em Buenos Aires, por 1 a 0).

O primeiro tempo teve o nervosismo que se espera de uma partida semifinal de Copa Libertadores da América. Nada além disso. Palmeiras e Boca Juniors não jogaram o futebol que são capazes e os primeiros 45 minutos foram marcados por uma única chance real de gol, motivada por falha de Weverton.

 

Com 15 jogados, os argentinos levantaram bola na área, o goleiro palestrino tentou tirar de soco, mas não achou nada pelo alto. Isquierdoz cabeceou no canto e bola passou perto da meta alviverde.

Empurrado pela Bombonera lotada, o Boca tentou pressionar a equipe brasileira, mas se limitou a bolas levantadas na área e chutes de longa distância, sem perigo. A inédita dupla de zaga escalada por Felipão na Libertadores, formada por Luan e Gustavo Gómez, não brincou lá atrás e rebateu todas de primeira.

Antes do intervalo, o Verdão conseguiu equilibrar o jogo e teve 52% de posse de bola, mas também sem criar. Na etapa final, o Maior Campeão do Brasil finalizou duas bolas de longe, logo nos primeiros minutos, o que poderia indicar uma mudança de postura, mas os visitantes mantiveram o ritmo do duelo.

A melhor oportunidade do jogo até então, e lance mais bonito plasticamente aconteceu apenas aos 36 minutos do segundo tempo. Olaza cobrou falta na entrada da área com a canhota, a bola foi no ângulo, mas Weverton voou para fazer uma defesa espetacular.

Para impedir o gol, Weverton se chocou com a trave e ficou dois minutos caído recebendo atendimento médico. Quando o árbitro autorizou novamente, aos 38, Benedetto, que estava em campo há sete minutos, antecipou Moisés e cabeceou livre para as redes.

Palmeirenses deixaram Benedetto sozinho para marcar (Foto: Juan Mabromata/AFP)

Mesmo com a desvantagem no placar, Felipão sacou Bruno Henrique e colocou Thiago Santos em campo. Aos 42, porém, Benedetto de novo, deixou o Boca Juniors muito perto da final da Copa Libertadores. O centroavante recebeu na entrada da área, deu drible desconcertante em Luan, de futebol de salão, e bateu muito forte no canto de Weverton.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS 2 X 0 PALMEIRAS

Data: 24 de outubro de 2018, quarta-feira
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires-ARG
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios

Cartões amarelos: Olaza, Villa e Zárate (BOCA JUNIORS); Gustavo Gómez e Bruno Henrique (PALMEIRAS)

GOLS
BOCA JUNIORS: Benedetto, aos 38 e 42 minutos do segundo tempo

BOCA JUNIORS: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallan e Olaza; Barrios, Nandez e Perez; Pavon (Buffarini), Zarate (Villa) e Ábila (Benedetto)
Técnico: Guillermo Schelotto

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos) e Moisés (Lucas Lima); Dudu, Willian e Borja (Deyverson)
Técnico: Felipão

O zagueiro Bruno Alves marcou o gol do triunfo do São Paulo sobre o Vitória (Foto: Rubens Chiri/SPFC)

O São Paulo finalmente voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Na noite desta sexta-feira, jogando no estádio do Barradão, o time tricolor atuou bem no primeiro tempo, segurou a pressão no segundo e derrotou o Vitória por 1 a 0, com gol do zagueiro Bruno Alves, encerrando um jejum de seis partidas sem triunfar.

Com o resultado, além de recuperar um pouco da confiança perdida, o São Paulo garante a manutenção do quarto lugar ao final da rodada, com 56 pontos, quatro a mais que o Grêmio, quinto colocado. Já o Vitória segue na 17ª colocação com 33 pontos, dentro da zona de rebaixamento.

Pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo tentará dar sequência à sua recuperação diante do Flamengo, no próximo domingo, às 17 horas (de Brasília), no Morumbi. No mesmo dia e horário, o Vitória buscará reagir contra o Paraná, em Curitiba.

O Jogo – O primeiro tempo foi de um jogo aberto, com o São Paulo explorando as pontas e criando as melhores oportunidades. A primeira delas surgiu aos 13 minutos, após saída errada do Vitória, Reinaldo cruzou na medida para Joao Rojas, que testou firme. O goleiro Ronaldo, porém, fez a defesa.

Bem mais intenso em relação às partidas anteriores, o São Paulo continuou melhor. Aos 21, Diego Souza recebeu grande lançamento de Bruno Peres e bateu cruzado, exigindo grande defesa de Ronaldo. O Vitória respondeu pouco depois, em chute de Rhayner, que quase complicou Jean.

Aos 36 minutos, o São Paulo foi premiado pela superioridade e abriu o placar. Em boa trama pela direita, Rojas recebeu de Reinaldo na grande área e tocou para trás. O zagueiro Bruno Alves apareceu perto da marca do pênalti e bateu forte, estufando as redes do Vitória.

Em busca do empate, o Vitória voltou com Neilton no lugar de Erick. Aos 13 minutos, o meia-atacante testou Jean em chute de fora da área, mas o goleiro tricolor encaixou a bola. Pouco depois, o São Paulo respondeu com Rojas, que recebeu de Reinaldo na direita e chutou colocado, tirando tinta da trave.

No lance, contudo, o atacante equatoriano machucou o pé direito e saiu para a entrada de Everton Felipe. Um pouco antes, Aguirre havia colocado Tréllez na vaga de Gonzalo Carneiro. Paulo Cesar Carpegiani respondeu pondo os atacantes Léo Ceará e Wallyson nos lugares de Willian Farias e Lucas Fernandes.

Sem Rojas, o time paulista passou a ser sufocado pelos baianos. Aos 34 minutos, o atacante Maurício Cordeiro avançou pela direita, invadiu a área e chutou rasteiro, mas Jean se esticou todo e conseguiu espalmar. A defesa do novo goleiro titular garantiu o triunfo do São Paulo, que encerrou o jejum de seis rodadas sem vencer.

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 0 x 1 SÃO PAULO

Local: Estádio do Barradão, em Salvador (BA)
Data: 26 de outubro de 2018, sexta-feira
Horário: 19h30 (Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Mauricio Coelho Silva Penna (RS)
Público: 11.714 torcedores
Renda: R$ 122.074,00
Cartão Amarelo: Lucas Ribeiro (Vitória); Hudson e Gonzalo Carneiro (São Paulo)
Cartão Vermelho: Jean (São Paulo)
Gol: SÃO PAULO: Bruno Alves, aos 36 minutos do 1º tempo

VITÓRIA: Ronaldo; Jeferson, Ramon, Lucas Ribeiro e Fabiano; Willian Farias (Léo Ceará),Rodrigo Andrade e Rhayner; Lucas Fernandes (Wallyson), Erick (Neilton) e Maurício Cordeiro
Técnico: Paulo Cesar Carpegiani

SÃO PAULO: Jean; Bruno Peres, Bruno Alves, Arboleda e Edimar; Luan, Hudson, Diego Souza (Nenê) e Reinaldo; Joao Rojas (Everton Felipe) e Gonzalo Carneiro (Tréllez)
Técnico: Diego Aguirre

 

Gazeta Esportiva

Foto - Divulgação

Vivendo um dos piores momentos nesta temporada, o São Paulo tem nesta sexta-feira, às 19h30, a oportunidade de voltar a vencer e recuperar a confiança para o restante do ano. Isso porque o clube paulista visita o Vitória, no estádio do Barradão, em partida válida pela 31° rodada do Campeonato Brasileiro, e um triunfo pode tirar o clima negativo que toma conta da equipe por causa dos maus resultados recentes.

O retrospecto não ajuda a equipe comandada por Diego Aguirre, já que o tricolor ainda não conseguiu nenhuma vitória jogando fora de casa desde que começou o returno do Brasileirão. O time conseguiu apenas três pontos jogando longe dos seus domínios durante esse período e, por isso, um triunfo pode mudar de vez a situação do São Paulo nesta reta final de competição. No momento, o clube está na quarta colocação, com 53 pontos.

Para a partida, Aguirre terá como opção o zagueiro Anderson Martins e o lateral-direito Bruno Perez, que voltam de suspensão e podem ser escalados pelo treinador uruguaio. A presença dos dois é muito importante para reforçar o sistema defensivo da equipe, que não está bem nas últimas rodadas e tem números bem abaixo se comparados com o desempenho do primeiro turno. 

O único desfalque certo do São Paulo é o meia-atacante Everton, que ainda está se tratando de um estiramento na coxa esquerda e ficou de fora dos últimos treinamentos do tricolor. Com isso, a tendência é que o técnico uruguaio coloque Reinaldo para jogar mais adiantado, posição que o jogador rendeu muito bem quando utilizado, principalmente no clássico diante do Corinthians, quando marcou dois dos três gols na vitória tricolor.

Já pelo lado dos donos da casa, o momento é de conseguir o máximo de pontos possíveis para evitar o rebaixamento para o Campeonato Brasileiro da Série B. O time está na décima sétima colocação, com 33 pontos, e, nesse momento, estaria no grupo dos quatro piores times do torneio nacional.

No entanto, apesar da má colocação na tabela, o clube baiano tenta usar os últimos jogos como base para ter confiança na partida diante do São Paulo. O Vitória vinha de quatro derrotas consecutivas, contra Ceará, Botafogo, Internacional e Santos, mas conseguiu um importante triunfo diante da Chapecoense, que também briga para não cair, e vem de um empate com o Corinthians, resultados considerados positivos pela equipe.

Para a importante partida, o técnico Paulo César Carpegiani terá o retorno de Ramon, além da presença do goleiro João Gabriel, que substitui Elias. Já o desfalque fica por conta do zagueiro Aderllan, que ainda pertence ao São Paulo e não poderá atuar por questões contratuais.

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA x SÃO PAULO

Local: Estádio do Barradão, em Salvador (BA)
Data: 26 de outubro de 2018, sexta-feira
Horário: 19h30 (Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Mauricio Coelho Silva Penna (RS)

VITÓRIA: Ronaldo; Jeferson, Ramon, Lucas Ribeiro e Fabiano; Willian Farias, Arouca e Rhayner (Rodrigo Andrade); Lucas Fernandes, Erick e Walter Bou
Técnico: Paulo Cesar Carpegiani

SÃO PAULO: Jean; Bruno Peres, Bruno Alves, Arboleda e Edimar; Luan, Hudson, Diego Souza e Reinaldo; Rojas e Gonzalo Carneiro.
Técnico: Diego Aguirre

 

Gazeta Esportiva

O Palmeiras inicia a disputa por uma vaga na decisão da Copa Libertadores às 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira. Na temida Bombonera, o time comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari entra em campo para enfrentar o Boca Juniors e sua fanática torcida.

Em Buenos Aires, o Palmeiras defende um retrospecto de 100% como visitante no torneio continental. Sob o comando de Roger Machado, o time alviverde ganhou de Junior Barranquilla (3 x 0), Boca Juniors (2 x 0) e Alianza Lima (3 x 1). Já com Felipão, bateu o Cerro Porteño (2 x 0) nas oitavas e o Colo-Colo (2 x 0) nas quartas.

“Não dá para falar em favoritismo. Em uma competição mata-mata, fica difícil o favoritismo entrar em campo”, disse Bruno Henrique, apesar do retrospecto palmeirense fora de casa. “O Boca é uma equipe muito grande, nós sabemos da grandeza do clube”, completou o volante. 

Em busca da vaga na decisão, Felipão deve mexer no miolo da defesa. A tendência é que Luan e Gustavo Gomez sejam escalados como titulares diante do Boca Juniors, já que ambos descansaram na última rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, Antônio Carlos e Edu Dracena ficariam na reserva.

No Boca Juniors, o técnico Guillermo Schelotto praticamente confirmou sua escalação. Embora o goleiro boliviano Carlos Lampe tenha condições de jogo, Rossi seguirá como titular. Na direita, Jara deixa Buffarini no banco. Perez jogará no meio de campo e Zarate, no ataque.

“Temos muito tempo de trabalho e estamos chegando ao objetivo principal, que é a final da Libertadores. Faltam dois passos. A torcida sempre apoiou, apesar de alguns resultados. Não tenho dúvidas de que na quarta-feira e Bombonera vai explodir e vamos nos matar por essa camiseta”, disse Schelotto.

Com 15 pontos ganhos, cinco a menos do que o líder Racing, o Boca Juniors figura na quinta colocação do Campeonato Argentino. Na última rodada do torneio nacional, com alguns atletas poupados para o duelo com o Palmeiras, o time de Schelotto empatou por 0 a 0 com o Rosario Central, na Bombonera.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS X PALMEIRAS

Data: 24 de outubro de 2018, quarta-feira
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires-ARG
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios

BOCA JUNIORS: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallan e Olaza; Barrios, Nandez e Perez; Pavon, Zarate e Ábila
Técnico: Guillermo Schelotto

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Dudu, Willian e Borja
Técnico: Felipão

Mais Artigos...