Dourados-MS,
CMD-DROGAS

Foto - Divulgação

Ainda em busca de seu primeiro título europeu, o PSG de Neymar terá pela frente um adversário tradicional. A Uefa sorteou nesta segunda-feira os confrontos das oitavas de final da Liga dos Campeões, que definiu que o time de Neymar enfrentará o Manchester United, que vive momento conturbado sob o comando de José Mourinho, mas conta com o peso de ser tricampeão continental.

View image on Twitter

 

Outro confronto de destaque será o duelo entre Liverpool e Bayern de Munique, que colocará frente a frente dois tradicionais campeões europeus - cada um deles têm cinco conquistas. O atual campeão Real Madrid, que tem 13 torféus, enfrentará o Ajax, tetracampeão europeu.

Cristiano Ronaldo de volta a Madri

Destaque nas últimas quatro conquistas europeias do Real Madrid, Cristiano Ronaldo voltará à capital espanhola com a camisa da Juventus para enfrentar um rival conhecido: o Atlético de Madrid. O Barcelona de Messi contou com melhor sorte e terá como rival o Lyon, enquanto o Manchester City duelará contra o Schalke 04.

Os times ficaram divididos em dois potes: um com as equipes que se classificaram na primeira colocação de seus grupos e outro com aquelas que avançaram como segundo colocados. Havia duas restrições na definição dos confrontos: times que se enfrentaram na fase anterior não poderiam se reencontrar, assim como clubes do mesmo país.

Os confrontos de ida serão realizados ao longo de duas semanas, nos dias 12, 13, 19 e 20 de fevereiro, e as partidas de volta ocorrerão em 5 e 6 e 12 e 13 de março do ano que vem. A Uefa divulgará as datas oficialmente ainda nesta segunda. 

A grande novidade para os confrontos das oitavas de final será a utilização do sistema de árbitro de vídeo (VAR), que a princípio só seria implementado na temporada 2019/20, mas teve uso antecipado para os confrontos de mata-mata já no primeiro semestre do ano que vem.

Outro fator importante é que atletas que venham a trocar de clube na janela de transferências de janeiro estão liberados para disputar a Liga dos Campeões por sua nova equipe, mesmo que tenha jogado a fase de grupos defendendo outra camisa. 

Confira os confrontos das oitavas de final: 
  • Schalke 04 x Manchester City
  • Atlético de Madrid x Juventus
  • Manchester United x PSG
  • Tottenham x Borussia Dortmund
  • Lyon x Barcelona
  • Roma x Porto
  • Ajax x Real Madrid
  • Liverpool x Bayern de Munique

 

Globo Esporte

Se o Real Madrid ficou sabendo o seu adversário da semifinal do Mundial de Clubes pela manhã, a tarde foi a vez do River conhecer o seu rival. E será o Al Ain, time da casa, que superou com facilidade o Espérance, da Tunísia, por 3 a 0, em partida realizada no estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos.

A vitória foi construída sem nenhuma dificuldade pelo time anfitrião. Logo no primeiro minuto de jogo, Ahmed abriu o placar numa cobrança de escanteio. Pouco tempo depois, El Shahat ampliou após um lindo contra-ataque. Na segunda etapa, Al Ahbabi fechou o placar aproveitando o passe do brasileiro Caio Lucas.

O confronto entre Al Ain e River Plate está marcado para a próxima terça-feira, no estádio Hazza Bin Zayed, o mesmo do duelo deste sábado. A bola começa a rolar para a semifinal do torneio às 14h30 (horário de Brasília). 

 
Al Ain passa com tranquilidade e agora enfrenta o River na semifinal (Foto: GIUSEPPE CACACE / AFP)

O jogo: O início de partida foi muito bom pelo lado do Al Ain. Logo no primeiro minuto de jogo, a zaga adversário deu bobeira e El Shabat cabeceou livre da pequena área. A bola acabou desviando na zaga e foi para escanteio. Na batida, Ahmed subiu mais que todos e desviou para abrir o placar logo no primeiro minuto.

Dez minutos mais tarde, o Esperance por pouco não conseguiu o empate. Numa cobrança de escanteio, Coulibaly venceu na disputa pelo ar e por pouco não empatou.

No entanto, as esperanças do Espérance durou pouco, já que o Al Ain ampliou a sua vantagem. Após um belíssimo contragolpe, El Shahat recebeu a bola dentro da área e mostrou uma boa qualidade técnica e foi preciso nos dribles até encontrar o momento exato para a finalização e anotar um bonito gol.

No restante da primeira etapa, a equipe da Tunísia bem que tentou armar uma reação, porém a falta de categoria dos seus homens de frente acabaram dificultando as coisas. A melhor chance veio aos 23 minutos, quando Khenissi acertou a trave após o cruzamento.

Na segunda etapa, o Al Ain consegue aumentar ainda mais a vantagem logo nos primeiro minutos. Após bela jogada do brasileiro Caio Lucas pela esquerda, a bola chega aos pés de Al Ahbabi, que livre na pequena área só teve o trabalho de empurrar para as redes.

Nos minutos finais, o Espérance ainda tentou de maneira tímida criar algum problema para o time que jogava em casa, porém não conseguiu criar nenhuma chance clara para descontar. Já o Al Ain não demonstrava pressa alguma e quando tinha a posse, apenas trocava passes esperando o apito final do árbitro.

FICHA TÉCNICA
ESPÉRANCE-TUN X AL AIN-EUA

Local: Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain (Emirados Árabes Unidos)
Data: 15 de dezembro de 2018 (Sábado)
Horário: 14h30 (de Brasília)
Árbitro: Jair Marrufo (Estados Unidos)
Assistentes: Frank Anderson (Estados Unidos) e Corey Rockwell (Estados Unidos)
Cartões amarelos: ESPÉRANCE: Belaïli
Gols: ESPÉRANCE: ; AL AIN: Ahmed, com 1, e El Shahat, aos 15, do primeiro tempo e Al Ahbabi, aos 13, do segundo tempo

ESPÉRANCE: Moez Ben Cherifia; Sameh Derbali, Dhaouadi, Chammam (Machani); Coulibaly, Kom (Rjaibi), Ali Ben Romdhan, Ghailene Chaaleli, Derbali, Khenissi e Badri
Técnico: Mouin El Shaabanitomó.

AL AIN: Khalid Eisa; Ismail Ahmed, Shiotani, Fayez; Doumbia (Yahia), Ryan (Amer), Ahmed Barman, Mohamed Ahmad e Hussein El Shahat, Al Ahbabi (Berg) e Caio Lucas
Técnico: Zoran Mamic

Os anfitriões conquistaram uma classificação sofrida diante do Team Wellington (Foto: Giuseppe CACACE / AFP)

Campeão da Liga das Nações da África, o Espérance, da Tunísia, desafia o anfitrião Al Ain em sua estreia no Mundial de Clubes da Fifa. O duelo, programado para as 14h30(de Brasília) deste sábado, no Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos, vai apontar o rival do campeão da Libertadores, o River Plate da Argentina, nas semifinais.

 
Os anfitriões conquistaram uma classificação sofrida diante do Team Wellington (Foto: Giuseppe CACACE / AFP)

O Al Ain, que está no torneio como representante do país-sede, pois foi campeão nacional, já jogou neste Mundial, eliminando na primeira partida o representante da Oceania, o Team Wellington, da Nova Zelândia. A ordem é jogar com a mesma determinação daquela ocasião, quando os árabes perdiam por 3 a 0, buscaram o empate e avançaram nas disputas de pênaltis.

“Mostramos que vontade é algo que não nos falta. Agora o desafio é maior, pois o Espérance é muito mais organizado”, disse o técnico do Al Ain, o croata Zoran Mamic.

 

Pelo lado do Espérance a ordem é entrar em campo focado apenas nos árabes.

“O mais complicado nessas ocasiões é esquecer o River Plate para não tropeçar no primeiro desafio. O nosso time foi vítima disso em dois mil e onze e não podemos repetir”, disse o técnico Mouin El Shaabanitomó, se referindo à derrota para outro árabe, o Al Sadd, que tirou dos tunisianos a chance de enfrentar o Barcelona nas semifinais.

O Espérance, da Tunísia, é o atual campeão africano de clubes (Foto: Divulgação)

Em termos de escalação, o Al Ain perdeu o meia Amer Abdulrahman, que cumpre suspensão por ter sido expulso contra o Team Wellington. Assim, o time passará a jogar com três homens de frente, uma vez que o artilheiro sueco Marcus Berg, preservado parte do tempo contra os neozelandeses, reaparece ocupando a vaga.

No Espérance, a estrela da companhia é o artilheiro Anice Badri, que representou a seleção da Tunísia na Copa do Mundo da Rússia e foi artilheiro da Liga dos Campeões da África com oito gols anotados.

Caso a partida termine empatada no tempo regulamentar acontecerá uma prorrogação de trinta minutos. Persistindo a igualdade no tempo extra, o classificado será conhecido somente nas cobranças de pênaltis.

FICHA TÉCNICA
ESPÉRANCE-TUN X AL AIN-EUA

Local: Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain (Emirados Árabes Unidos)
Data: 15 de dezembro de 2018 (Sábado)
Horário: 14h30(de Brasília)
Árbitro: não divulgado pela organização

ESPÉRANCE: Moez Ben Cherifia, Sameh Derbali, Iheb Mbarki, Houcine Rebai e Ali Machani; Ali Ben Romdhan, Adem Rjaibi, Ghailene Chaalali e Saad Bguir; Mohamed Belaili e Anice Badri
Técnico: Mouin El Shaabanitomó

AL AIN: Khalid Eisa, Ismail Ahmed, Mohanad Salem, Ahmed Barman e Mohamad Ahmad; Tongo Doumbia, Hussein El Shahat e Caio; Tsukasa Shiotani, Jamal Maroof e Marcus Berg
Técnico: Zoran Mamic

Com a expectativa de receber 40 mil torcedores e incendiar a Arena da Baixada em busca de um título inédito e reconhecimento, o Atlético Paranaense encara o Junior Barranquilla, da Colômbia, a partir das 21h45 (de Brasília), para saber quem conquistará a Copa Sul-americana. Na partida de ida, empate em 1 a 1, que deixa a disputa totalmente em aberto, já que uma vitória simples de qualquer um dos lados garante a taça.

Melhor campanha da competição, com oito vitórias em 11 jogos, melhor ataque, com 21 gols marcados, e apenas seis gols sofridos, além de um caldeirão fervendo, coloca o Furacão como virtual favorito para se consolidar no continente como ‘El Paranaense’. Porém, a força do adversário chegou a surpreender a ponto de a igualdade como visitante ter sido bastante comemorada.

O técnico Tiago Nunes, que conseguiu desde sua chegada à equipe principal construir uma filosofia de jogo sólida, recuperando alguns jogadores descreditados e fazendo uma mescla entre juventude e experiência, aparece como protagonista da decisão. E deverá ter força máxima em campo para tentar escrever seu nome na história do futebol brasileiro. Única dúvida, o atacante Pablo, com um desconforto na panturrilha, fez tratamento intensivo e deve ir para o jogo. Rony fica de sobreaviso.

Com contrato renovado por mais uma temporada, o mais experiente jogador do clube, com título de Libertadores da América em seu currículo, Lucho González sabe o significado da decisão e promete um grupo determinado durante os 90 minutos na busca pelo título. “Vamos entregar tudo o que temos e mais um pouco, porque sabemos que podemos ficar na história do clube. É o que esse grupo quer. Muitas vezes, você se prepara para o jogo de uma maneira e nem sempre sai como o planejado. Mas coração e entrega não podem faltar”, avaliou.

O Junior chegou a decisão com moral, já que passou por três equipes argentinas, Lanús, Colón e Defensa Y Justicia, além do o rival Santa Fe. Além dos resultados, as boas apresentações do time, que também se destaca no campeonato nacional, chamaram a atenção. A equipe, que desembarcou no domingo em solo paranaense, pode reconhecer e admirar o palco da partida e treinar no CT do Caju.

Para reforçar o time na grande decisão, a principal estrela, o atacante Téo Gutiérrez foi liberado pela Conmebol após cumprir uma partida de suspensão pela expulsão diante do Santa Fe, está confirmado. O lateral-esquerdo Fuente, outro que ficou de fora na ida, pode ser a outra novidade entre os titulares.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO PARANAENSE-BRA X JUNIOR BARRANQUILLA-COL

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 12 de dezembro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)
Árbitro de vídeo: Julio Bascuñan (Chile)
Árbitros de vídeo assistentes: Piero Maza (Chile) e Carlos Astroza (Chile)

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Léo Pereira e Thiago Heleno e Renan Lodi, Bruno Guimarães, Lucho González e Raphael Veiga, Nikão, Marcelo Cirino e Pablo (Rony).
Técnico: Tiago Nunes

JUNIOR: Viera; German Gutiérrez (Fuente), Rafael Pérez, Marlon Piedrahita e Jefferson Gómez; James Sánchez, Luis Díaz, Jarlan Barrera e Víctor Cantillo; Luis Narváez e Téo Gutiérrez
Técnico: Julio Comesaña

 

Gazeta Esportiva

O Real Madrid já sabe quem será o seu adversário na semifinal do Mundial de Clubes. Trata-se do Kashima Antlers, do Japão, que na manhã deste sábado bateu o Chivas Guadalajara, do México, por 3 a 2, em duelo realizado no estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos.

O Chivas chegou a abrir o placar logo aos três minutos de partida com Zaldívar. No entanto, após desperdiçar muitas chances de abrir vantagem no primeiro tempo. quando dominou o jogo, os mexicanos viram os japoneses voltarem arrumados para a segunda etapa e a virada aconteceu com os gols de Nagaki, o brasileiro Serginho e Abe. Nos minutos finais, Pulido descontou para os mexicanos.

Com a vitória, os japoneses, que contam com Zico como diretor de futebol, se preparam agora para enfrentar o Real Madrid pela semifinal da competição. O encontro acontece na próxima quarta-feira, no Zayed Sports City. O duelo pode ser a revanche dos japoneses, que acabaram sendo superados pelo merengues na decisão do torneio de 2016 pelo placar de 4 a 2.

 Kashima bate o Chivas e encara o Real Madrid na semi do Mundial de Clubes (Foto: Giuseppe CACACE / AFP)

O jogo: Os primeiros 45 minutos foram praticamente de um time só em campo. Com uma qualidade técnica mais evidente, o Chivas dominou a posse da bola rapidamente e criou muitas chances de ataque. A superioridade da equipe mexicana ficou evidente logo aos dois minutos, quando Zaldívar subiu mais que o seu marcador e aproveitou o cruzamento vindo da direita para a abrir o placar.

Após o tento, a equipe de Guadalajara seguiu sendo mais presente no ataque em comparação ao rival. No entanto, a forte pressão só voltou a gerar uma boa chance de gol aos 39 minutos, quando Zaldívar teve a chance de finalizar de dentro da área, porém o goleiro adversário fez a defesa.

Ainda no primeiro tempo, os mexicanos tiveram mais uma chance para tentar ampliar a vantagem. Após um erro na saída de bola, a redonda sobrou nos pés de Pineda, que fuzilou da entrada da área e acertou o travessão.

Se na primeira metade da partida o Chivas foi o dono da partida, o Kashima Antlers respondeu na mesma moeda no segundo tempo. Após belíssimo lançamento de Serginho, Doi sai pela esquerda e encontra Nagaki, que empurrou para a rede e igualou o placar logo no terceiro minuto após o intervalo.

Pouco tempo depois, Doi foi derrubado dentro da área e a arbitragem viu falta no lance, gerando a penalidade. O brasileiro Serginho ficou com a responsabilidade da cobrança e não desperdiçou, virando o placar para a equipe japonesa.

Com a vantagem no placar o Kashima teve a chance de explorar os contragolpes. E no primeiro que conseguiu ser encaixado, Abe acertou um lindo chute da entrada da área e confirmou a vitória dos japoneses.

Nos minutos finais, o Chivas conseguiu ainda diminuir a vantagem do rival após Pulido marcar o gol no rebote de uma cobrança de pênalti anotado pelo VAR.

FICHA TÉCNICA
KASHIMA ANTLERS-JAP X CHIVAS GUADALAJARA-MEX

Local: Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain (Emirados Árabes Unidos)
Data: 15 de dezembro de 2018 (Sábado)
Horário: 11h(de Brasília)
Árbitro: Bamlak Tessema (Etiópia)
Assistentes: Zakhele Siwela (África do Sul) e Waleed Ahmed (Sudão)
Cartões amarelos: Kashima Antlers: Seung-Hyun Jung, Leandro; Chivas: Jair Pereira e Michael Pérez
Cartão vermelho:
Gols: CHIVAS: Zaldívar, aos 2 minutos do primeiro tempo, e Pulido, aos 48 minutos do segundo tempo; Kashima Antlers: Nagaki, aos 3, Serginho, aos 22, e Abe aos 38 minutos do segundo tempo.

KASHIMA ANTLERS: Sun-Tae Kwoun; Atsuto Uchida, Gen Shoji, Seung-Hyun Jung e Shuto Yanamoto; Léo Silva, Ryota Nagaki, Serginho, Yasushi Endo (Nishi), Shoma Doi (Azai); Leandro (Abe)
Técnico: Go Oiwa

CHIVAS GUADALAJARA: Raul Gudiño, Van Rankin, Jair Pereira, Marín e Miguel Ponce; Orbelín Pineda (Godínez), Michael Pérez, Isaác Brizuela e Javier López (Sandoval); Alan Pulido e Angel Zaldívar
Técnico: José Cardozo

Operário e Corumbaense representantes do MS na Copa do Brasil - Foto - Divulgação

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) realizou na noite de quinta-feira (13) o sorteio dos duelos da primeira fase da Copa do Brasil 2019, com dois clubes do MS participando. O Corumbaense encara o Luverdense, enquanto o Operário pega o Botafogo, da Paraíba.

Tanto o Carijó quanto o Galo da Capital vão jogar em casa, respectivamente, nos estádios Arthur Marinho e Morenão, o duelo único dessa fase inicial - que acontecerá em 6 ou 13 de fevereiro, ainda a definir no calendário da CBF e dos clubes.

Nesta primeira fase, por ranqueamento, os times sul-mato-grossenses ficaram abaixo dos rivais e, por isso, jogarão em casa o único duelo realizado. Voltando à Copa do Brasil após 11 anos, o Operário estava no pote H, enquanto seu rival estava no pote D.

Já o Corumbaense, que ano passado bateu o ASA por 1 a 0 no Arthur Marinho e foi eliminado ao perder na segunda fase para o Vitória, em Salvador, subiu no ranking da CBF e ficou no pote G, que cruzou no sorteio com os times do pote C.

Caso vença o Botafogo em Campo Grande, o Operário joga fora de casa contra os pernambucanos do Sport ou os mineiros do Tombense. Já o Corumbaense, se passar pelo Luverdense, encara seu rival novamente em casa. O adversário sai do duelo entre Boavista (RJ) e Figueirense (SC).

Já entre os considerados grandes clubes brasileiros, o Santos encara o Altos (PI), o Fluminense pega o River (PI), o Vasco joga contra o Juazeirense (BA) e o Corinthians enfrenta o Ferroviário (CE), além do Botafogo que vai pegar o Campinense (PB).

Veja abaixo a lista completa de todos os duelos dessa fase:

Altos-PI x Santos-SP
São José-RS x Chapecoense-SC
River-PI x Fluminense-RJ
Ferroviário-CE x Corinthians-SP
Juazeirense-BA x Vasco-RJ
Aparecidense-GO x Ponte Preta-SP
URT-MG x Coritiba-PR
Rio Branco-AC x Bahia-BA
Campinense-PB x Botafogo-RJ
Moto Clube-MA x Vitória-BA
Tombense-MG x Sport-PE
Brusque-SC x Atlético-GO
Itabaiana-SE x Paraná-PR
Central-PE x Ceará-CE
Sinop-MT x Santa Cruz-PE
Boavista-RJ x Figueirense-SC
São Raimundo-PA x Criciúma-SC
Sergipe-SE x Goiás-GO
São Raimundo-RR x América-MG
Real Desportivo-RO x Avaí-SC
Galvez-AC x ABC-RN
Mixto-MT x CSA-AL
Votoporanguense-SP x Ypiranga-RS
Avenida-RS x Guarani-SP
Bragantino-PA x Asa-AL
Santa Cruz-RN x Tupi-MG
Operário-MS x Botafogo-PB
Sobradinho-DF x América-RN
Serra-ES x Remo-PA
Imperatriz-MA x Náutico-PB
Brasiliense-DF x CRB-AL
Tubarão-SC x Brasil-RS
Manaus-AM x Vila Nova-GO
Foz do Iguaçu-PR x Boa Esporte-MG
Palmas-TO x Juventude-RS
Corumbaense-MS x Luverdense-MT
Fast-AM x Oeste-SP
Americano-RJ x Londrina-PR
Atlético-CE x Joinville-SC

O duelo não foi no Monumental de Núñez nem mesmo na Argentina, perdeu encanto com os problemas fora de campo, mas não deixou de opor os dois maiores rivais do nosso país vizinho, uma das maiores rivalidades do mundo, ainda que tenha sido no Santiago Bernabéu, neste domingo, em Madri.

Em campo, o River Plate fez valer o seu melhor toque de bola, superou o gol de Benedetto no primeiro tempo e, com um a mais, viu Pratto, Quintero e Pity Martínez entrarem para a história do clube.

O 3 a 1, construído principalmente após a expulsão de Barrios, no primeiro tempo da prorrogação, deu aos riveristas o quarto título da sua história, juntando-se às taças de 1986, 1996 e 2015. E mais do que isso: um triunfo histórico da maior competição continental contra o maior adversário que podia existir. Impecável em campo.

Benedetto coloca o Boca na frente

O primeiro tempo da partida foi marcado por um duelo individual: Benedetto, atacante, contra Maidana, zagueiro. Protagonistas na abertura do placar, eles começaram o embate logo nos primeiros minutos, com o centroavante sempre caindo mais pelo lado esquerdo e, invariavelmente, levando vantagem no pivô realizado sobre o defensor adversário.

Maidana, por sinal, promoveu o primeiro lance de perigo da partida ao rebater para trás um cruzamento em mandar por cima do gol de Armani. Na cobrança do escanteio, após desvio na segunda trave, Pablo Pérez chutou de primeira e Armani defendeu. Minutos depois, Nández quase roubou bola na entrada da área, mas sofreu falta de Ponzio. Benedetto bateu, a barreira desviou e Pérez só não marcou porque Casco conseguiu desviar o seu chute.

Dono da bola na maior parte do tempo, o River não conseguiu ser tão incisivo quanto o adversário e mais rodou a posse de lado a lado do que fez Andrada trabalhar. Uma das poucas boas escapadas foi em contra-ataque puxado pelo meio que caiu nos pés de Montiel. O lateral cruzou rasteiro para a entrada da área e Pity Martínez chutou forte, mas pegou mal e mandou por cima do gol.

Antes do intervalo, porém, sumiu o 0 a 0. Andrada errou na saída de bola, o River recuperou com Palacios e o meia cruzou rasteiro para a entrada da área, mas mandou para ninguém. Pavón pegou a sobra, acionou Pérez e o capitão deu para Nández. O uruguaio descolou lindo passe rasteiro a Benedetto. O centroavante ganhou de Pinola na corrida, deixou Maidana no chão e tocou de chapa no canto de Armani para enlouquecer sua torcida atrás do gol.

Pratto vibrou muito com o seu gol (Divulgação/River Plate)

Toque de bola do River dá resultado

A etapa final manteve um Boca mais incisivo no seu campo de ataque e perigoso para Armani, que precisou se mexer para evitar uma investida de Pavon pelo lado esquerdo. Em contra-ataque pouco depois, o jovem argentino limpou bem a marcação e cortou para o meio. Porém, mesmo com Villa passando livre pelo lado direito, preferiu chutar e mandou por cima do gol.

Duas alterações, no entanto, foram fundamentais para que o jogo mudasse de panorama. Visivelmente cansado, mas único atleta do Boca que conseguia aliviar a pressão sobre a defesa, Benedetto deu lugar a Ábila. Do outro lado, precisando do resultado, Gallardo deu a ordem para que o habilidoso Quintero substituísse o volante Ponzio, dando mais rapidez ao seu toque de bola.

Depois de Pratto ganhar dividida de Andrada e reclamar de pênalti, anotado como falta do atacante pela arbitragem, o River conseguiu vencer a defesa adversária justamente com seu toque de bola. Nacho Fernández recebeu no lado esquerdo, tocou para Enzo Pérez e recebeu ótima devolução, entre as pernas de Magallán. O canhoto, então, rolou para Pratto, com o gol aberto, deixar tudo igual.

O 1 a 1 deixou o duelo mais faltoso, com quatro cartões amarelos sendo distribuídos a partir dali. O lance de maior perigo veio em uma marcação de tiro livre indireto dentro da área do River, após Pinola travar chute de Nández com a sola. Depois de muito conversar e ensaiar, o Boca cobrou com Pavón rolando para Olaza, mas o lateral chutou em cima da barreira.

Jogo foi muito brigado no Santiago Bernabéu (Foto: Divulgação/Conmebol)

River fica com um a mais e triunfa

A prorrogação começou com Nández, que havia terminado o duelo estirado no chão com câimbras, dando um pique de dar inveja aos atletas, mostrando que a final tirava o máximo de cada um dos jogadores. O problema para o Boca, no entanto, foi que Barrios, amarelado perto do fim do segundo tempo, levou outro cartão ao dividir com Palacios, sendo expulso e exigindo ainda mais dos seus companheiros.

A desvantagem deu mais espaço e pagou seu preço logo no início da etapa final do tempo-extra. O River trabalhou a bola na entrada da área, Quintero abriu para Fernández e se movimentou para receber na linha, de frente para o gol. O canhoto ajeitou para a perna esquerda e chutou muito forte, a bola ainda tocou no travessão e passou sem chances para Andrada.

O Boca foi com tudo para cima, ainda ficou com nove após Gago se machucar e chegou a mandar uma bola na trave após a série de displicências do ataque riverista, quando Jara chutou rasteiro. O desespero, no entanto, deixou o gol vazio para Martínez puxar contra-ataque e selar o triunfo do River.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE 3 X 1 BOCA JUNIORS

Local: Estádio Santiago Bernabéu, em Madri (Espanha)
Data: 9 de dezembro de 2018 (Domingo)
Horário: 17h30(de Brasília)
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)
Cartões amarelos: Ponzio, Fernández, Maidana (River); Pablo Pérez, Barrios (Boca)
Cartão vermelho: Barrios (Boca)
Gols:
RIVER: Pratto, aos 23 minutos do segundo tempo, e Quintero, aos três, e Pity Martínez, aos 16 minutos do segundo tempo da prorrogação
BOCA: Benedetto, aos 43 minutos do primeiro tempo

RIVER PLATE: Armani; Montiel (Mayada), Maidana, Pinola e Casco; Fernández (Zuculini), Ponzio (Quintero), Enzo Pérez e Palacios (Álvarez); “Pity” Martínez e Pratto
Técnico: Marcelo Gallardo

BOCA JUNIORS: Andrada; Buffarini (Tevez), Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Wilmar Barrios e Pablo Pérez (Gago); Pavón, Villa (Jara) e Benedetto (Ábila)
Técnico: Guillermo Barros Schelotto

 

Gazeta Esportiva

Mais Artigos...