Dourados-MS,
CMD-2

Athletico perde para o Tolima em estreia na Libertadores

Futebol
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

A caminhada do Athletico Paranaense no Grupo G da Libertadores da América 2019 começou com gosto amargo ao perder por 1 a 0 para o Tolima, no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia.Foi a primeira partida oficial da equipe rubro-negra na temporada, já que prioriza a competição internacional.

Usando a bola parada, os donos da casa abriram a contagem, aos 29 minutos, com Banguero aproveitando rebote na pequena área após cobrança de falta para estufar a rede, marcando o gol da vitória.

Na próxima rodada da competição, o Tolima enfrenta o Boca Juniors, da Argentina, terça-feira, em La Bombonera. Já o Atheltico terá pela frente o Jorge Wilstermann, quinta-feira, iniciando uma sequência de três partidas na Arena da Baixada.

O jogo – O Furacão começou a partida marcando forte no meio-campo, apostando nas roubas de bola e no contra-ataque. Aos dois minutos, Rubén trombou com o goleiro Montero, a bola ficou no meio da confusão e a defesa colombiana conseguiu afastar. A partida era truncada, concentrada entre as intermediárias. Aos dez minutos, Tiago Nunes precisou queimar sua primeira mudança, com Madson, que jogada improvisado na direita, saindo lesionado para a entrada de Zé Ivaldo.

Cobrança de escanteio fechada para Thiago Heleno, aos 15 minutos, e o zagueiro deu um peixinho pela linha de fundo. Aos 17 minutos, lançamento para Rony, que cruzou para o meio, nos pés de Marco Rúben, que finalizou para fora. A resposta veio em cruzamento de Mostacilla para González, que tocou em cima de Santos, que cedeu escanteio. O Tolima cresceu na partida e pressionava.

Os donos da casa foram para cima e, aos 29 minutos, após cobrança de escanteio, Santos parou toque de cabeça mas, no rebote, não parou o chute de Banguero, que mandou para o fundo da rede e abriu o placar. Albornoz aproveitava a avenida pelo lado esquerdo do ataque para chegar e, aos 37 minutos, serviu Pérez, que abriu a perna e desperdiçou a chance de dominar na área.

Para a segunda etapa, nenhuma nova modificação nas equipes. Aos dois minutos, cruzamento na área colombiana feito por Rony, a bola desviou a zaga após corte do goleiro e acertou a trave. O troco veio em levantamento para Mostacilla, aos seis minutos, com uma cabeçada certeira que passou à direita da meta. O Furacão tentava tomar a iniciativa, mas a marcação do time da casa era forte.

Renan Lodi testou o Montero, aos 12 minutos, com um chute cruzado, de longe, que obrigou o goleiro a ceder escanteio. Levantamento para Pérez, aos 16 minutos, e o atacante subiu com liberdade para cabecear para fora. O técnico Tiago Nunes apostou na entrada de Marcelo Cirino no lugar de Camacho.Thiago Heleno balançou as rede, aos 20 minutos, mas o árbitro marcou impedimento no lance.

O jogo era mais aberto e, aos 24 minutos, Vásques encontrou espaço para chutar e parar nas mãos de Santos. O Rubro-Negro dominava as ações, mas o relógio era cruel com o time brasileiro. Aos 31 minutos, González limpou a jogada no contra-ataque e praticamente recuou para Santos. Confusão na área colombiana, Rony dividiu com a zaga na pequena área e ficou com o escanteio. Na sequência, nova chance para Rony, que parou em Montero. Aos 48 minutos, Balanta ainda perdeu o contra-ataque que seria o segundo gol do Tolima.

TOLIMA-COL 1 X 0 ATHLETICO PARANAENSE-BRA

Local: Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué (Colômbia)
Data: 05 de março de 2019, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Piero Maza (Chile)
Assistentes: Raul Orellan (Chile) e Edson Cisternas (Chile)
Cartões amarelos: Robbles e Arboleda (Tolima); Léo Pereira e Thiago Heleno (Athletico)

Gols
TOLIMA: : Banguero, aos 29 minutos do primeiro tempo

 

TOLIMA: Álvaro Montero; Arboleda, Julián Quiñónes, Mostacilla e Danovis Banguero; Robles, Carrascal (Gordillo), Larry Vásquez e Luis González (Balanta); Omar Albornoz (Castro) e Marco Pérez.
Técnico: Alberto Gamero

ATHLETICO: Santos; Madson (Zé Ivaldo), Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho (Marcelo Cirino), Bruno Guimarães e Tomás Andradef; Rony, Nikão (Braian Romero) e Marco Ruben.
Técnico: Tiago Nunes