The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Hotel desativado gera medo em moradores do entorno

Hotel desativado gera medo em moradores do entorno

Desativado há vários anos, o hotel Dourados Park Hotel localizado no bairro Altos do Indaiá tem representado preocupação a quem reside ao seu entorno.

 

Conforme uma moradora do bairro Altos do Indaiá de 47 anos, auxiliar administrativa, "o problema maior é a sujeira". Ela conta que o mato alto e as árvores sem poda representam preocupação. Outro ponto citado por ela é pessoas "estranhas" adentram o local frequentemente.

"Nós que moramos aqui perto temos medo, pois a noite pessoas com intenção de roubo ou outras podem se esconder pelo escuro e pelo mato. Tem pessoas que estão sempre dentro do hotel não sabemos se são usuários de droga, invasores, enfim o prédio está abandonado há anos e não temos contado com tranquilidade para chegar em casa a noite, por exemplo, algo precisa ser feito".

Ela cita que os moradores já contataram setores de iluminação e serviços urbanos na prefeitura, mas nada foi feito.

Para Michele Cruz, 33, veterinária, moradora no bairro, a situação do ‘apagão’ também preocupa. Ela cita que há o temor que pessoas se aproveitem do fato para prática de crimes. Outro ponto enfatizado por ela, é quanto a preocupação com doenças devido a sujeira no local.

"Com o mato alto, a situação de pernilongos é incômoda. Outro ponto é que o local sempre tem lixo e como sabemos o mosquito da dengue e de outras doenças pode fazer de criadouro, é preocupante", conta. Ela afirma que com o abandono, alguns moradores já se uniram e roçaram parte do entorno do lugar em outras vezes.

De acordo com a coordenadora Rosana Alexandre da Silva, o prédio tem sido visitado pelos agentes a cada duas semanas em média e nas visitas realizadas nenhum foco foi encontrado.

Ainda conforme ela, ocorreu uma visita ao prédio nesta terça-feira (13) e em alguns pontos foi adicionado larvicida devido a água parada por conta da chuva.

Quanto a notificações e multas ao imóvel, Rosana cita que há cerca de dois meses o proprietário do local foi orientado a realizar uma limpeza na área pois havia grande quantidade de matéria orgânica e a solicitação foi atendida.

A coordenadora ressalta que a medida adotada pelo CCZ em relação a imóveis abandonados quando os responsáveis não atendem solicitações é conforme orienta a Lei Municipal 3.965 de entrada forçada e eliminação de focos, multa, notificação.

No caso específico do entorno do imóvel, o secretário Joaquim Soares informou que a equipe realizará uma análise da situação.