Dourados-MS,
Audiencia Reforma - Camara

Foto - Divulgação

Copa 2018

Os jogadores da Seleção Brasileira voltam a treinar hoje (24) na preparação para enfrentar a Sérvia, na próxima quarta-feira (27), às 15h, em Moscou, no jogo da última rodada do grupo E. A partida definirá a classificação do Brasil para as oitavas de final.

Nos trabalhos de hoje, Tite vai insistir na atividade específica de chutes a gol com objetivo de melhorar a pontaria dos jogadores do ataque. O treinador quer mais qualidade nas finalizações.

Nesse sábado (23), após terem passado pela forte carga emocional na vitória sobre a Costa Rica por 2 a 0, partida realizada na sexta-feira (22), em São Petersburgo, os jogadores se submeteram às atividades de regeneração física.

Dia de muita atividade para os jogadores em Sochi
Dia de muita atividade para os jogadores em Sochi - Direitos reservados/Lucas Figueiredo - CBF

Antes disso, Tite reuniu os jogadores e a comissão técnica e tiveram uma conversa rápida. Em seguida, o preparador físico Fábio Mahseredjian conduziu uma sessão de alongamentos. Após os trabalhos, o treinador liberou todos os atletas.

A seleção lidera o seu grupo, com quatro pontos. Caso vença a Sérvia, a equipe se classifica em primeiro. O empate também garante o Brasil nas oitavas, mas na segunda colocação.

Na outra partida do grupo E, jogam Suíça e Costa Rica. Os suíços têm o mesmo número de pontos do Brasil. Caso a Costa Rica, já eliminada, derrote a Suíça, a Seleção Brasileira se classifica em primeiro do grupo mesmo se empatar o jogo contra os sérvios.

Os jogadores Douglas Costa e Danilo não viajarão a Moscou. Eles ficarão na concentração do Brasil em Sochi, fazendo tratamento médico para a recuperação de lesões. Douglas está com uma contusão na coxa esquerda e Danilo, no quadril.

No 11º dia da Copa do Mundo na Rússia, as seleções do grupo H entram hoje  em campo. É o grupo mais desafiador para os torcedores que gostam de antecipar o resultado das partidas: os palpiteiros de plantão. Líderes com 3 pontos cada, Japão e Senegal se enfrentam e brigam para ver quem será o líder isolado até a última rodada. Polônia e Colômbia têm confronto decisivo para manter esperanças de classificação. A primeira partida deste domingo (24) é a única de previsão mais confortável. Pelo grupo G, a Inglaterra enfrenta os estreantes em Copas, o Panamá.

Inglaterra x Panamá – 9h, Nizhny Novgorod

Copa 2018: Inglaterra e Tunísia. Comemoração do segundo gol da Inglaterra.
Copa 2018: Inglaterra e Tunísia. Comemoração do segundo gol da Inglaterra, na primeira rodada do grupo G. Neste domingo (24), os ingleses enfrentam o Panamá. - Gleb Garanich/Reuters/Direitos reservados

Embora não tenha demonstrado um futebol exuberante contra a Tunísia, no primeiro jogo, a Inglaterra é franca favorita para a partida de hoje. Os panamenhos, que mostraram muita vontade mas pouco futebol contra a Bélgica, enfrentam a outra potência do grupo na segunda rodada. Uma vitória, se vier, será o maior feito da história do futebol panamenho.

O meio-campista Edgar Barcenas disse que a tensão da estreia na Copa já passou. “O susto de nossa estreia histórica e de estar aqui [na Copa do Mundo] foi o que nos deixou nervosos [contra a Bélgica]. Sabemos que temos que aproveitar isso, porque temos muito mais a ganhar do que a perder”. Na entrevista para a de imprensa o treinador do Panamá, Dario Gomez, já confirmou que o time titular será o mesmo que jogou contra a Bélgica, quando a seleção panamenha foi derrotada por 3 a 0..

Japão x Senegal – 12h, Ecaterimburgo

Este será o jogo de duas seleções que precisam provar que os primeiros três pontos conquistados não foram à toa. Japão veio de vitória contra a Colômbia e Senegal venceu a Polônia. Em um grupo equilibrado como esse, qualquer ponto conquistado é fundamental.

A estrela do Senegal é Sadio Mané. O atacante do Liverpool e da seleção africana, no entanto, não se destacou em relação ao restante do time na vitória contra os poloneses. Mas fez uma boa partida, com um futebol coletivo. E, segundo ele, essa é a força do time. “Acho que vai ser um bom jogo. Acho importante ser cooperativo. Nossa força? Não é [só Sadio Mané], é o time”.

O Japão sabe que vai enfrentar um time alto, rápido e forte fisicamente. “Precisamos ser fortes [e fisicamente bem preparados]. Senegal é um time disciplinado, então precisamos ser muito cautelosos com eles”, disse o treinador Akira Nishino.

Polônia x Colômbia – 15h, Kazan

Poloneses e colombianos virão a campo para um jogo de vida ou morte na Copa do Mundo. A declaração do atacante colombiano, Falcão Garcia, diz tudo: “Será como uma final. Quero ganhar no domingo e faremos o que pudermos para conseguir os três pontos”.

O lateral-direito Santiago Arias também mostra fé em um bom resultado. “Sabemos o que queremos e onde queremos estar. Ainda temos mais dois jogos para alcançar nosso objetivo de classificação. Estamos 100% comprometidos com o jogo [contra a Polônia]”.

O treinador polonês, Adam Nawalka, afirma que sua equipe virá pronta para enfrentar os sul-americanos. “Perdemos o primeiro jogo, mas não perdemos a fé. Estou convencido de que estamos bem preparados”, disse. Segundo ele, seu time não vê a hora de entrar em campo. “Havia uma grande esperança na Polônia [no primeiro jogo] e, consequentemente, uma grande decepção. Estamos ansiosos para jogar a segunda partida; e é claro, eu espero um resultado melhor”.

A Alemanha precisou de um gol que só os craques podem fazer para se manter viva na Copa do Mundo. Depois de sair perdendo e, após ficar com um jogador a menos em campo, a atual campeã mundial viu o meio-campista Toni Kroos marcar um golaço, aos 50 minutos do segundo tempo, e consolidou uma vitória por 2 a 1 sobre a Suécia, em Sochi, neste sábado.

O resultado deixa a equipe com os mesmos três pontos dos suecos, empatados em saldo de gols e gols marcados. O México, com seis pontos, precisa apenas de um empate para assegurar sua passagem no Grupo F, enquanto os coreanos, zerados, seguem com uma mínima chance de avançar.

Na próxima rodada, os alemães fecham sua participação contra a Coreia do Sul, em duelo marcado para a quarta-feira, às 11h (de Brasília), na Arena de Kazan. Nos mesmos dia e horário, mas na cidade de Ekaterimburgo, os suecos encaram o líder México. 

Suécia controla o jogo e sai na frente

O começo da partida parecia mostrar uma Alemanha determinada a ganhar, com uma pressão inicial que quase resultou na abertura do placar. Aos dois minutos de bola rolando, Werner invadiu a área pela direita, chutou e Olsen espalmou. No rebote, a bola sobrou para Draxler, que bateu de primeira e viu o goleiro, com os pés salvar a Suécia. Pouco depois, Werner cruzou para Reus já na pequena área, mas a zaga afastou.

Bastou um vacilo dos germânicos, no entanto, para que os suecos mostrassem sua capacidade. Rudiger foi desarmado no meio-campo e, com o campo inteiro para correr, Berg foi lançado em profundidade. O centroavante invadiu a área e, cara a cara com Neuer, acabou calçado e empurrado por Boateng. O atleta até chutou, mas houve pênalti claro não marcado pela arbitragem.

A Alemanha foi atrapalhada na sequência quando Rudy deu um carrinho e, quando Larsson tentou pular, foi acertado pelo tornozelo do sueco no nariz. O jogador ficou fora do jogo por seis minutos, com o nariz claramente quebrado, deixando o time com um a menos por todo esse tempo. Gundogan entrou na sua vaga, mas a pressão alemã já havia cessado.

O cenário ficou ainda pior quando Toivonen, aos 32 minutos, matou a bola no peito dentro da área e tocou por cima de Neuer, abrindo o placar. Os alemães quase empataram em chute de Gundogan desviado em Ekdal, mas Olsen fez boa defesa. No rebote, Lustig travou tentativa de Muller e mandou para escanteio. O último lance de perigo foi sueco, com Berg cabeceando no canto e Neuer fazendo grande defesa.

Kroos faz uma pintura no fim

Joachim Low, incomodado com a pouca produtividade da equipe na etapa inicial, resolveu voltar para o segundo tempo com Mario Gomez, um centroavante, na vaga do ponta esquerda Draxler. Timo Werner foi deslocado para a esquerda e, logo em seu primeiro lance, construiu um gol. Após cruzamento do 9, a bola passou por Gomez e Reus, de joelho, mandou no canto esquerdo, no contrapé de Olsen.

O gol deu mais moral aos alemães, que impuseram dez minutos de muita pressão sobre o adversário. Em lance pouco depois do tento, Kroos recebeu na entrada da área, cortou para o pé direito e chutou forte. A bola desviou na zaga e passou rente à trave de Olsen.

Os suecos aceitaram a pressão e jogaram o tempo inteiro com seus 11 jogadores no campo de defesa, mas conseguiram segurar bem as tentativas do adversário. O ritmo germânico sofreu um baque aos 35 minutos. Boateng tentou desarmar Berg com um carrinho e, já amarelado, recebeu a segunda advertência, acabando expulso de campo.

Mesmo com um a menos, no entanto, a Alemanha não desistiu. Gomez cabeceou e parou em Olsen. Pouco depois, Brandt carimbou a trave esquerda do goleiro. No último suspiro, porém, veio a salvação. Durmaz fez uma falta infantil na lateral da área e Kroos chamou a responsabilidade. Tocou curto para Reus, que pisou e viu o camisa 8 acertar o ângulo, consolidando uma linda virada dos alemães.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 2 X 1 SUÉCIA

Local: Estádio Olímpico de Fisht, em Sochi (Rússia)
Data: 23 de junho de 2018 (Sábado)
Horário: 15h (de Brasília)
Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia)
Assistentes: Pawel Sokolnicki (Polônia) e Tomasz Listkiewicz (Polônia)
Cartões amarelos: Boateng (Alemanha); Ekdal e Larsson (Suécia)
Cartão vermelho: Boateng (Alemanha)
Gols:
ALEMANHA: Reus, aos três, e Kroos, aos 50 minutos do segundo tempo
SUÉCIA: Toivonen, aos 32 minutos do primeiro tempo

ALEMANHA: Neuer; Kimmich, Rudiger, Boateng e Hector (Brandt); Rudy (Gundogan), Kroos, Müller, Reus e Draxler (Gomez); Werner
Técnico: Joachim Löw

SUÉCIA: Olsen; Lustig, Lindelöf, Granqvist e Augustinsson; Claesson (Durmaz), Larsson, Ekdal e Forsberg; Berg (Thelin) e Toivonen (Guidetti)
Técnico: Jan Olof Andersson